Sindicato dos Funcionários do HC vai pedir interdição do prédio

Segundo o presidente do sindicato, MP deverá pedir uma vistoria completa e a troca de toda a fiação do prédio

Solange Spigliatti, estadao.com.br

23 de janeiro de 2008 | 11h47

O Sindicato dos Funcionários do Hospital das Clínicas pretende encaminhar ainda nesta quarta-feira, 23, um ofício ao governo do Estado de São Paulo e à Secretaria de Saúde, pedindo o fechamento do prédio dos ambulatórios do hospital, para que seja feita uma vistoria completa.   Segundo o presidente do sindicato, Itamar Fernando Marinho da Costa, o prédio dos ambulatórios é ligado a outro prédio, onde ficam os pacientes internados. "E se pegar fogo e atingir os pacientes? Não vamos assumir esse ônus", desabafa.   Ainda de acordo com o presidente, o pedido da interdição é para que seja feita uma vistoria completa e a troca de toda a fiação do prédio e principalmente usando material de primeira, "antes que alguma tragédia maior aconteça", conclui.   "Um incêndio no prédio além de matar os funcionários também vai matar os pacientes", analisa Itamar. Para ele, os pacientes poderiam ser transferidos para outras unidades, para que a reforma fosse feita. O pedido de interdição será encaminhado também ao Corpo de bombeiros, à administração do Hospital e ao Ministério Público, segundo informações de Itamar.   Incêndio   Um mês após o incêndio que interditou parte do prédio dos ambulatórios do Instituto Central e no dia marcado para começar as obras de reparo do Hospital das Clínicas, em Pinheiros, na zona oeste da capital, um princípio de incêndio atingiu uma área entre o quinto e o quarto andar do hospital. Nenhum funcionário ou paciente ficou ferido. A assessoria de imprensa do HC divulgou nota oficial sobre o princípio de incêndio. O local, que armazena equipamentos do serviço de endoscopia, é restrito e não há nenhum tipo de instalação elétrica, como, por exemplo, tomadas, além da iluminação. O HC registrou boletim de ocorrência sobre o caso. A sala foi interditada e passará por uma perícia a ser realizada pelo Instituto de Criminalística.   Conforme o comunicado, a equipe de segurança do hospital percebeu a fumaça saindo de baixo da porta da sala e conseguiu apagar o fogo em pouco tempo. Os bombeiros chegaram a ser acionados, mas não localizaram nenhum motivo elétrico, termoelétrico ou de combustão espontânea que pudessem provocar o foco de incêndio.   O prédio dos ambulatórios inicia o atendimento às 7 horas. No horário do incidente, alguns pacientes se encontravam no laboratório central e em ambulatórios. Por medida de segurança, eles foram retirados da área O atendimento acabou sendo retomado em 15 minutos. Segundo a assessoria, o atendimento no prédio dos ambulatórios voltou a funcionar normalmente.   Outro incêndio atingiu o Prédio dos Ambulatórios do HC, por volta das 22 horas de 24 de dezembro. Cerca de 200 pacientes tiveram de ser removidos. Um deles morreu, mas a direção do hospital nega que tenha sido por causa do fogo. A polícia abriu um inquérito para apurar as causas do incêndio. As investigações ainda não foram concluídas.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.