ALEX SILVA/ESTADAO
ALEX SILVA/ESTADAO

Sindicato de taxistas diz que irá pagar carro depredado

Enfermeiro teve veículo danificado durante protesto dos motoristas contra a regulamentação de aplicativos de viagens

O Estado de S. Paulo

12 Maio 2016 | 15h20

SÃO PAULO - O Sindicato dos Motoristas nas Empresas de Táxi do Estado de São Paulo (Simtetaxi) divulgou nota na manhã desta quinta-feira, 12, em que se compromete a indenizar o enfermeiro Jorge Carlos Ferreira Santos, que teve seu carro depredado por taxistas na terça-feira à noite, durante um protesto contra a regulamentação de aplicativos como o Uber.

"O presidente do Simtetaxis, Antonio Matias (Ceará), em virtude do equívoco cometido com o proprietário do Corsa, Jorge Carlos Ferreira Santos, na manifestação da última terça-feira (10/05), afirma que vai prestar todo atendimento necessário visando reparação do seu patrimônio", diz o texto.

Santos, cujo Corsa é preto, se viu cercado por taxistas no Corredor Norte-Sul que teriam confundido o enfermeiro com um motorista da Uber. Assim, chutaram o veículo, deram pauladas e quebraram vidros. Policiais militares que acompanhavam o protesto não interferiram. O enfermeiro ficou preso na multidão até que um ônibus, que também estava na via, liberar a passagem. O carro atingiu cinco taxistas quando acelerou, na fuga. 

 

Mais conteúdo sobre:
SÃO PAULO Uber Ceará Santos

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.