Sindicato anuncia greve de ônibus para segunda em São Paulo

Após manifestação alguns motoristas e cobradores já cruzam os braços; categoria quer reajuste maior que 7%

Elvis Pereira, estadao.com.br

13 de maio de 2008 | 19h27

O Sindicato dos Motoristas e Trabalhadores em Transporte Rodoviário Urbano de São Paulo anunciou que a categoria entrará em greve a partir da meia-noite da próxima segunda-feira, 19. A paralisação pode atingir 30 empresas de ônibus que atuam na capital. Alguns motoristas e os cobradores, no entanto, anteciparam-se e decidiram cruzar os braços após o fim do protesto realizado na tarde desta terça-feira, 13, em frente à sede da Prefeitura, no centro. Com essa medida, o sindicato espera obter uma proposta melhor que a apresentada pelo Tribunal Regional de Trabalho de São Paulo (TRT-SP) nesta tarde, em audiência. No encontro, a desembargadora Wilma Nogueira de Araújo Vaz da Silva, vice-presidente Judicial do TRT-SP, ofereceu sua última e definitiva proposta de conciliação: 7% de reajuste salarial retroativo a 1º de maio. Além disso, a juíza concedeu participação por lucros e resultados (PLR) em 1º de setembro de R$ 400 para motoristas e de R$ 250 para cobradores. O TRT estabeleceu o prazo de 48 horas para o Sindicato dos Motoristas e os donos de empresas de ônibus se manifestarem e marcou uma nova audiência para quinta-feira, 15, às 17 horas.  Cerca de 700 pessoas participaram da manifestação, iniciada por volta das 15 horas. O Viaduto do Chá chegou a ficar completamente fechado. Segundo a Companhia de Engenharia de Tráfego (CET), às 17h26, a via já havia sido liberada.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.