Símbolos do Metrô vão virar suvenir

Companhia autoriza venda de produtos como chaveiros, canecas, camisetas e capas de tablet

Edison Veiga, Rodrigo Burgarelli, O Estado de S.Paulo

08 Maio 2013 | 02h02

Em 15 dias, será possível comprar uma capinha para tablet com o símbolo do Metrô de São Paulo. A exemplo do que já acontece em Londres e Nova York, a marca do transporte paulistano sobre trilhos também quer virar suvenir. Um ano depois da publicação do edital para atrair empresas interessadas em explorar a marca, o primeiro contrato foi assinado e os produtos já deverão estar à venda nas próximas semanas.

Pelo acordo, a empresa SP Loves You vai comercializar capas de iPad, bolsas, nécessaire, chaveiros, prato, caneca, bandeja, capa de chuva, camisetas e guarda-chuvas, tudo com a marca do Metrô.

A linha foi desenvolvida, a pedido da empresa, pelo artista Felipe Morozini. Em um primeiro momento, os produtos serão distribuídos pela SP Loves You para lojas de museus paulistanos - que os revenderão ao público. O Metrô vai ficar com 7% do valor arrecadado. Como ainda não estão definidos os pontos de venda ao consumidor final, por enquanto só estão disponíveis os preços no atacado - a capinha para tablet custa R$ 37,25 e as camisetas saem a partir de R$ 55, por exemplo.

"Percebi que muitos turistas que vêm para São Paulo procuram produtos com um ícone da cidade para levar como suvenir. E não encontram", afirma a empresária Lucia Vigorito, proprietária da SP Loves You. "Por isso, acredito nisso. O Metrô é um símbolo de São Paulo."

A ideia da empresária é que todos as linhas sejam assinadas por algum artista ou designer paulistano. Assim, depois de Morozini, outros profissionais devem ser convidados a usar a criatividade para estampar os produtos com o símbolo do Metrô - todas as criações passam por aprovação da companhia.

Loja. O gerente de Negócios do Metrô, Aluizio Gibson, conta que a ideia é abrir uma loja na Estação Consolação para vender tanto os suvenires da companhia quanto outras lembranças da cidade.

"É um ponto importante de São Paulo, com muita concentração de turistas, e isso nos dá a esperança de que essa loja terá bastante sucesso. Grande parte dos visitantes que vêm para a cidade quer conhecer o nosso metrô", explica.

Segundo ele, o edital para contratar uma empresa para administrar a loja deverá ser lançado logo, o que permitirá que o local já esteja aberto no segundo semestre. Gibson afirma que outras duas empresas estão interessadas em também licenciar produtos com a marca do Metrô e novos contratos poderão ser assinados em breve.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.