Shoppings ampliam vagas de valet em SP

MorumbiShopping, Bourbon, Anália Franco e Tatuapé adotam medida para o Natal. Consumidores reclamam de fim de estacionamento comum

Tiago Dantas / JORNAL DA TARDE, O Estado de S.Paulo

18 Dezembro 2010 | 00h00

A uma semana do Natal, pelo menos quatro shoppings de São Paulo aumentaram a oferta de vagas dos chamados estacionamentos VIP, aqueles em que o cliente entrega o carro para um valet e não precisa se preocupar em procurar vaga. O serviço custa até três vezes mais que o estacionamento comum - os valores chegam a R$ 16 por duas horas.

Reportagem em novembro mostrou que em 16 centros de compra da capital a espera por uma vaga nos estacionamentos dura, em média, 30 minutos.

Agora, por conta do Natal, os valets do MorumbiShopping receberão 250 veículos a mais nos fins de semana de dezembro. Durante a semana, são 450 vagas. O Shopping Bourbon, na zona oeste, terá 450 vagas no estacionamento VIP. Embora tenha informado que houve um aumento de vagas para o Natal, o centro de compras não disse quantas eram reservadas para o serviço anteriormente. Já o Shopping Anália Franco, na zona leste, por exemplo, dobrará o número de vagas até 24 de dezembro, passando de 100 para 200. O Boulevard Tatuapé, na mesma região, aumenta o espaço VIP de 36 para 54 vagas a partir de hoje.

Outros seis shoppings da capital oferecem o serviço, mesmo que não tenham planejado aumento de espaço neste fim de ano (veja quadro ao lado). "Prefiro gastar um pouco mais do que perder mais de meia hora procurando vaga. Nessa época do ano, o shopping vira um inferno. É muito mais cômodo parar no valet", diz a aposentada Tereza Rossetto, de 66 anos.

Por outro lado, há clientes que reclamam do aumento da oferta dos valets, afirmando que isso acarreta uma redução das vagas comuns, cujos valores são mais baixos. "Eles fazem isso de propósito", afirma o gerente de compras Ricardo Freitas de Oliveira, de 35 anos. "O shopping tira as vagas normais para nos obrigar a parar no valet e pagar mais. Só paro lá em último caso", completa.

Usar o Sem Parar também ajuda a reduzir o tempo gasto no estacionamento. "Pelo menos não pego aquela fila enorme para pagar o tíquete", conta a desenhista Flávia Teixeira, de 26 anos. Assim como ela, cerca de 566 mil pessoas usaram o serviço para pagar estacionamento neste ano no Estado. "É uma tendência. E não é só na capital. Muitas cidades do interior já têm isso. A ótica do shopping é a comodidade. E nada melhor do que um chip que manda a fatura no fim do mês", diz Luís Augusto Ildefonso, da Associação de Lojistas de Shoppings.

O engenheiro de trânsito Flamínio Fichmann orienta o consumidor a fazer as compras fora dos horários de pico do trânsito - entre as 7h e as 10h e as 17h e as 20h. Além disso, deve procurar shoppings que tenham acessos próximos a corredores de ônibus ou linhas de metrô.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.