Daniel Teixeira/AE
Daniel Teixeira/AE

Shopping Mooca Plaza abre na Vila Prudente

Presidente da associação de moradores diz que empreendimento acabou levando nome do bairro que é considerado uma 'grife' pelos paulistanos

Valéria França, O Estado de S.Paulo

29 Novembro 2011 | 03h03

Localizado na Vila Prudente, o Shopping Mooca Plaza abre hoje, às 13h, as portas para o público. O empreendimento é grande. São 230 lojas, cinemas e restaurantes distribuídos em dois pavimentos com corredores largos, iluminação natural e chão de granito.

Trata-se do primeiro grande centro comercial da região. Com arquitetura moderna, o prédio "rasgado" por faixas de vidro foi levantado no antigo terreno da montadora Ford, com 112 mil metros quadrados - quase metade da área do Parque da Aclimação, na região central. "Plantamos 1,6 mil árvores ao redor do prédio e construímos 2,4 mil vagas de estacionamento", diz Márcio Rehder, superintendente do shopping.

O centro de compras é um marco na mudança panorâmica da região, conhecida pela antiga vocação fabril, cheia de grandes galpões. Apesar de ser visto com bons olhos pela vizinhança, o shopping trouxe à tona uma rixa antiga entre mooquenses e prudentinos.

Sinceridade. "Tenho de ser sincera e dizer que o shopping está mais na Vila Prudente do que na Mooca", diz Crescenza de Souza Neves, da associação de moradores Amo a Mooca. "A Mooca tem 455 anos de história. Foi rota de chegada dos imigrantes italianos no Brasil e atualmente vive um boom imobiliário. Virou uma grife."

Desde 2009, segundo dados da Empresa Brasileira de Estudos de Patrimônio (Embraesp), mais de 2,4 mil unidades residenciais foram lançadas na região - a maior parte de três dormitórios. Quem circula pelo bairro percebe que suas ruas viraram um grande canteiro de obras. No antigo terreno da fábrica do Açúcar União, por exemplo, começa a ser levantado o Luzes da Mooca, da Abyara, um empreendimento misto, com torres comerciais e residenciais de alto padrão.

"O trânsito ficou difícil nessa região", diz Marco Alfredo Di Cunto, de 31 anos, gerente de Marketing do restaurante que leva o sobrenome de sua família, inaugurado há 70 anos no bairro. Os caminhões de terra e as betoneiras interditam as ruas com frequência.

"O bairro precisava se modernizar, mas isso tem um preço." A matriz do restaurante e doceria Di Cunto fica na Rua Borges Figueiredo, na Mooca, e uma filial foi aberta no novo shopping.

"Trazer marcas tradicionais para o shopping é uma forma de criar uma identidade com o local", explica Rehder. "Nossos restaurantes foram planejados para receber a família toda no almoço de domingo, da nona ao neto."

Prudentinos. Os moradores de Vila Pudente, no entanto, estão divididos. "É muito bom ter um shopping na região", diz Newton Zadra, de 75 anos, presidente do Circulo de Trabalhadores Cristãos de Vila Prudente. "Mas o prédio deveria levar o nome do bairro onde está. E ele está na Vila Prudente. É sempre assim. O crematório é da Vila Alpina. A estação do Metrô é do Ipiranga. E para a Vila Prudente sobra apenas a favela."

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.