Shopping Aricanduva tem tiroteio e dois assaltos a lojas

O primeiro roubo, na Claro, terminou com troca de tiros no corredor; o segundo caso foi registrado na Marisa

ARTUR RODRIGUES, O Estado de S.Paulo

22 de agosto de 2012 | 03h02

Tiroteio e perseguição a criminosos foram registrados na tarde de ontem no Shopping Aricanduva, na zona leste de São Paulo. Duas lojas foram alvo de assaltos quase seguidos. As ações terminaram com a prisão de duas pessoas, uma de cada crime.

Segundo a Polícia Civil, o primeiro caso foi em uma loja da operadora de telefonia Claro. Por volta do meio-dia, dois ladrões invadiram o estabelecimento. Seguranças e criminosos trocaram tiros. Após um dos ladrões ser baleado pelos vigilantes, a dupla resolveu fugir. Ninguém se feriu.

Após fazer rondas pela área, policiais do 66.º DP (Aricanduva) encontraram um Fiat Uno branco abandonado, que tinha sido usado pelos ladrões para fugir do shopping. "A dona do carro era comparsa da quadrilha, mas estava prestando queixa de roubo no 103.º DP (Itaquera)", afirma o delegado Arthur Frederico Moreira, titular do 66.º DP.

A mulher teria confessado a farsa. Os investigadores continuam procurando os demais criminosos. Um deles, de 20 anos, já foi identificado.

Pouco tempo depois, um peruano de 35 anos, cujo nome não foi divulgado, invadiu a loja de roupas Marisa fingindo estar armado. Ele roubou uma sacola cheia de roupas, mas foi surpreendido pelos seguranças, que passaram a persegui-lo pelo centro de compras. "Como já tínhamos sido chamados ao shopping, havia investigadores por lá, que prenderam o criminoso", afirmou o delegado Arthur Moreira.

Segurança. Segundo o delegado, a polícia já sabe que há um alto índice de crimes no centro comercial, e por isso policiais do distrito costumam fazer rondas na região do estabelecimento.

O Estado entrou em contato com a Assessoria de Imprensa do Shopping Aricanduva. O empreendimento, porém, não quis se manifestar. O departamento de comunicação da Claro diz que lamenta o ocorrido e está colaborando com as investigações e tomando as providências necessárias. Já o setor de imprensa da Marisa limitou-se a informar que estava ciente da tentativa de assalto.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.