'Sexualidade é a ênfase da questão'

Como o senhor avalia esses episódios envolvendo estudantes que foram confrontados pelos colegas e pelas instituições de ensino por estarem de saias?

Entrevista com

O Estado de S.Paulo

10 Junho 2013 | 02h01

É lamentável que em pleno século 21, neste momento que vivemos, os alunos ainda sofrerem algum tipo de sanção pelo simples fato de estarem vestindo roupas não convencionais. Se formos olhar com cuidado o caso, percebemos que é a sexualidade a ênfase da questão.

Qual a opinião do senhor sobre os "saiaços"?

O estudante quer romper barreiras. O jovem que fazer seu protesto. Principalmente levando em conta que a maioria da sociedade segue os mesmos padrões normativos. Ou seja, tem um comportamento meio restritivo. Assim, vejo com normalidade grupos de alunos que se predispõem a se colocarem de forma contrária.

Mas eles funcionam enquanto manifestação?

Os dois lados têm pleno direito de se colocar na manifestação. Tanto o lado restritivo das instituições, quanto o outro lado, o das pessoas que se solidarizaram com quem foi o alvo das intimidações. Mas é importante ter em mente que nem sempre o que os manifestantes pedem é aceito. No entanto, como vivemos num ambiente democrático, é sempre bom que ambos os lados dialoguem.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.