Setor de autopeças diz que sofre com atividade irregular

"O roubo de carros, principalmente a parte que dele retorna para a reposição de autopeças, é extremamente degradante. É algo que prejudica o varejista que trabalha honestamente." Essa é a impressão de Francisco Wagner de La Tôrre, presidente do Sindicato do Comércio Varejista de Peças e Acessórios para Veículos no Estado de São Paulo (Sincopeças) a respeito de desmanches ilegais e de comerciantes que barateiam seus produtos às custas do crime. "Esse tipo de lojista faz parte de uma cadeia extremamente organizada", complementa.

O Estado de S.Paulo

18 Março 2012 | 03h07

La Tôrre explica também que a atuação de lojistas no crime prejudica a imagem do setor independente de peças de reposição. O presidente do Sincopeças afirma que, sempre que procurado, o sindicato colaborou com o Ministério Público Estadual e com a polícia no combate a esse tipo de atividade. /W.C.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.