Sete são feitos reféns em rebelião da Fundação Casa na zona oeste de SP

A Polícia Militar foi acionada e a diretoria da instituição está no local e tenta negociar a liberação das vítimas

12 de setembro de 2012 | 15h39

SÃO PAULO - Funcionários da Fundação Casa (antiga Febem) são mantidos reféns de uma rebelião que acontece há cerca de 6 horas, nesta quarta-feira, 12, na unidade de Vila Leopoldina, na zona oeste da capital paulista. A Polícia Militar foi acionada e a diretoria da instituição está no local e tenta negociar a liberação das vítimas.

O tumulto começou por volta das 9h30 desta quarta, quando um dos internos agrediu fisicamente um coordenador de equipe dentro de uma sala de aula. O funcionário foi liberado e socorrido até o Hospital das Clínicas, próximo ao local. No entanto, os demais internos da unidade teriam aproveitado a confusão para iniciar a rebelião.

Os menores quebraram cadeiras, mesas e portas, afirma a fundação. Até as 15h, a diretoria da Fundação Casa negociava a liberação dos reféns, que são mantidos em uma sala da instituição e não estão feridos. A Polícia Militar aguarda as conversas no lado externo da unidade.

A corregedoria da Fundação Casa acompanha o caso do local e deve instaurar apuração sobre os motivos da rebelião.

A unidade Vila Leopoldina está localizada no número 1.233 da Avenida das Nações Unidas e tem capacidade máxima para 150 internos. Por medida de segurança, não é divulgada a quantidade de funcionários da instituição.

Mais conteúdo sobre:
fundação casa

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.