Hélvio Romero/AE
Hélvio Romero/AE

Sete estações da Cetesb apontam qualidade do ar ruim em São Paulo

Outras dez têm qualidade regular; tempo seco deixa cidade em alerta pelo 3.º dia consecutivo

Julia Baptista, Central de Notícias

25 de agosto de 2010 | 13h28

SÃO PAULO - A qualidade do ar está inadequada em sete das 20 estações de medição da Companhia Ambiental do Estado de São Paulo (Cetesb) na região metropolitana de São Paulo nesta quarta-feira, 25.

 

Veja também:

mais imagens Galeria: Tempo seco em SP

 

Dez estações têm qualidade regular e três não apresentam dados. As estações que têm qualidade ruim do ar são: Ibirapuera, São Caetano do Sul, Osasco, São Bernardo do Campo, Taboão da Serra, Mauá e Santo André.

 

Sintomas como tosse seca, cansaço, ardor nos olhos, nariz e garganta são consequências da má qualidade do ar. Crianças, idosos e pessoas com doenças respiratórias e cardíacas podem ser mais afetadas.

 

O índice que aponta inadequação do ar é vai de 101 a 199. O cálculo é feito a partir da medição da quantidade de dióxido de enxofre, partículas inaláveis, fumaça, monóxido de carbono, ozônio e dióxido de nitrogênio no ar.

 

Alerta. A cidade de São Paulo entrou em estado de alerta pelo terceiro dia consecutivo por conta do baixo índice de umidade relativa do ar, que era de 13% às 13 horas, índice mais baixo do ano, de acordo com o Centro de Gerenciamento de Emergências (CGE),

 

Segundo a Defesa Civil municipal, o índice foi registrado na estação automática do Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet), localizada no Mirante de Santana, zona norte da cidade.

 

O tempo segue seco e estável nos próximos dias, com predomínio de sol e temperaturas elevadas para a época do ano. As mínimas oscilam em torno dos 12ºC, enquanto que as máximas chegam aos 30ºC.

 

Texto atualizado às 13h50.

Tudo o que sabemos sobre:
tempo seco

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.