José Patrício/Estadão
José Patrício/Estadão

Sete dicas para quem vai visitar o Ipiranga no fim de semana

Saiba como chegar, o que visitar e até onde fazer uma pausa na visita aos monumentos históricos

O Estado de S. Paulo

28 de agosto de 2015 | 22h45

O Parque da Independência é um dos destinos mais procurados pelos paulistanos no fim de semana. Com uma área de 161 300 metros quadrados, costuma receber um público de mais de 10 000 pessoas aos sábados e domingos. Confira oito dicas para visitar o lugar em que foi declarada a Independência do Brasil.

1. Transporte: ir de carro para o Ipiranga não é a melhor das ideias. Não há muita oferta de estacionamentos nas redondezas e as disputadas vagas no passeio público são guardadas por flanelinhas. Como o bairro é bem abastecido pelo transporte público, prefira o metrô. Desembarque nas estações Sacomã ou Alto do Ipiranga. De lá, use os ônibus "478P-10 - Sacomã - Pompeia" e "5101-10 - Term. Sacomã - Term. Pq. D. Pedro II" ou "4113-10 - Gentil de Moura - Pça da República". Outra opção é desembarcar na estação Ipiranga da CPTM e pedalar. A prefeitura inaugurou a ciclovia que liga a estação e atravessa o Parque da Independência. Aviso: do trem até o Museu a subida é puxada na rua dos Patriotas.

2. O que ver: apesar de o Museu Paulista estar fechado para reforma, há muitas atrações históricas no conjunto. A cripta do Ipiranga, onde estão os restos mortais do Imperador D. Pedro I, abre para visitação das 9h às 17h (é grátis). Do lado de fora, o mausoléu tem imagens dos heróis da Independência e o fogo que nunca se apaga, representando o amor à pátria. Há também a Casa do Grito, supostamente retratada no quadro de Pedro Américo e com alto valor arqueológico.

3. Onde comer: o restaurante A Galeta Dourada (R. Padre Marchetti, 282) fica bem perto, basta atravessar a rua. Familiar, serve carnes no capricho. Na sobremesa vale caminhar até a Damp Sorvetes (R. General Lecor, 512), com sabores tradicionais e menos comuns, como queijo do tipo brie com damasco e manjericão com amora e queijo cuia com melaço de cana e pimenta-rosa.

4. Passeio: aproveite para percorrer as ruas do bairro e gastar as calorias. As principais mansões histórias estão localizadas nas ruas Bom Pastor (800 e 825) e Costa Aguiar (1055 e 1013) .

5. Programe-se: o Aquário agrada as crianças e funciona todos dia até as 17h. O ingresso custa R$ 60,00 ou R$ 40 (crianças). Tem tanque com os tubarões, ursos polares, cangurus, raias e pinguins, entre outros.

6. Bares: confira uma lista de bares bacanas para petiscar e bebericar no início da noite.

7. Jantar: além dessas hamburguerias queridas pelos moradores, o Ipiranga oferece também ótimas pizzarias. A mais tradicional e concorrida é a Sala Vip (R. Cisplatina, 195). Mais em conta, Tchellino's Pizza Bar tem um gostoso crostini de sardela para comer de entrada (R. Padre Marchetti, 26).

Tudo o que sabemos sobre:
BairrosSPIpiranga

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.