Marcio Fernandes/AE
Marcio Fernandes/AE

Sesc ‘definitivo’ de Santo Amaro abre no dia 19 de novembro

Prédio ecologicamente correto, erguido onde até 2004 funcionou uma unidade provisória, deve receber 3 mil visitantes por dia

Edison Veiga, O Estado de S.Paulo,

27 Outubro 2011 | 22h00

Três mil pessoas são esperadas por dia na nova unidade Sesc Santo Amaro, na zona sul de São Paulo, que será inaugurada no dia 19. O moderno prédio, cuja construção consumiu investimento de R$ 51 milhões, vai funcionar no mesmo endereço onde funcionou, de 1999 a 2004, a antiga Unidade Provisória Sesc Santo Amaro, na Rua Amador Bueno, 505. Antes, o local abrigou uma garagem de ônibus.

“O importante é que, desde 1999, o Sesc vem marcando presença na rotina do bairro”, comenta o gerente regional do Sesc São Paulo, Danilo Santos de Miranda. “Santo Amaro tem grande população e na região circulam pessoas de todos os bairros do entorno.”

É a terceira inauguração de um Sesc paulista neste ano. Em agosto, foi aberta a unidade Bom Retiro; em julho, foi entregue ampliação em Campinas. Atualmente, há 33 unidades no Estado, que recebem 400 mil pessoas por semana. “E, para o ano que vem, deveremos ter abertura das unidades 24 de Maio (no centro paulistano), Guarulhos e Jundiaí, além da sede definitiva da unidade da Avenida Paulista”, antecipa Miranda. “Não podemos parar. O País cresce, o Estado cresce, a cidade cresce. Precisamos acompanhar.”

Estrutura. Na entrada da unidade Santo Amaro, uma praça coberta também vai servir para abrigar exposições e pequenas apresentações. De lá, o usuário terá acesso a espaços multiuso e de convivência para exposições e manifestações culturais, além de sala para oficinas, locais para uso de internet e cursos de novas tecnologias, biblioteca e espaço lúdico para crianças e bebês. Um galpão cultural também vai poder ser usado para organizar aulas abertas e exposições. Além disso, a unidade terá quatro consultórios odontológicos, estacionamento coberto para 180 automóveis e 34 motos, bicicletário e uma lanchonete com capacidade para 120 pessoas.

Para os praticantes de esportes, o Sesc vai oferecer duas salas de ginástica, um conjunto aquático e um ginásio poliesportivo. “Mas será uma academia mais social e menos fitness, mais saúde e menos marketing”, adianta Miranda, fazendo contraponto a estabelecimentos puramente comerciais. “Nos preocupamos, por exemplo, com orientação para uma alimentação adequada.”

Tudo isso em um prédio ecologicamente correto. O projeto saiu das pranchetas do arquiteto Edson Elito e privilegia soluções sustentáveis, como sistemas de economia de energia e reaproveitamento de água da chuva.

Histórico. O Sesc chegou a Santo Amaro em 1998, com o pré-lançamento da unidade provisória. E a abertura foi com barulho: um evento batizado de Mundão reuniu 1,5 mil artistas e esportistas em 120 horas de programação cultural. A partir de janeiro de 1999, a unidade funcionou por seis anos na Rua Amador Bueno. Por ali passaram artistas como Djavan, Arnaldo Antunes, Tom Zé e Belchior.

Em 2005, a sede provisória foi fechada para o início das obras da unidade atual, definitiva. Para não perder o espaço conquistado no bairro, o Sesc continuou suas atividades em uma casa de 460 metros quadrados na Avenida Adolfo Pinheiro. Para compensar o pouco espaço, a instituição criou uma série de projetos e parcerias, batizada de Mutirão Cultural, que previa eventos em diferentes espaços públicos e privados da região.

 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.