Luiz Fernando Toledo/Estadão
Luiz Fernando Toledo/Estadão

Servidores e alunos da USP protestam contra PM no câmpus

Secretaria de Segurança Pública decidiu colocar batalhão próprio para atuar no local após série de episódios de violência; policiais terão até 25 anos, média da idade dos universitários

Luiz Fernando Toledo, O Estado de S. Paulo

07 de agosto de 2015 | 14h29

Atualizada às 20h15

SÃO PAULO - Representantes de servidores e de estudantes da Universidade de São Paulo (USP) protestam, na tarde desta sexta-feira, 7, contra a presença da Polícia Militar no câmpus Butantã da instituição. Após uma série de episódios de violência e criminalidade na Cidade Universitária, na zona oeste de São Paulo, a Secretaria de Segurança Pública (SSP) decidiu acelerar a implementação de um batalhão próprio que atuará no local, com cerca de 120 policiais, que deverão ter até 25 anos, a idade média dos universitários. 

Cerca de 50 pessoas participaram da manifestação, por volta das 14h, em frente ao prédio da reitoria. Houve, no local, uma reunião da Comissão de Direitos Humanos da instituição, com a presença do secretário de Segurança Pública, Alexandre de Moraes. Moraes chegou à reitoria por volta das 14h30 e foi vaiado. "Bandido!", gritam os manifestantes. 

Tudo o que sabemos sobre:
ViolênciaUSPSão Paulo

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.