Servidores do Judiciário paulista decidem continuar em greve

Paralisação começou no dia 28 de abril; trabalhadores reivindicam do Judiciário a reposição total das perdas salariais, num montante de 20,16%

Priscila Trindade, do estadão.com.br

16 de junho de 2010 | 18h57

SÃO PAULO - Os servidores do Judiciário paulista decidiram em assembleia feita na tarde desta quarta-feira, 16, manter a paralisação da categoria por tempo indeterminado.

 

Os grevistas se reuniram às 14 horas em frente ao Fórum João Mendes, na região central da capital. Depois, os manifestantes seguiram em passeata até o prédio da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB-SP), localizado na Praça da Sé.

 

A greve dos servidores começou 28 de abril. A principal reivindicação dos servidores do Judiciário é a reposição total das perdas salariais, num montante de 20,16%.

 

Às 10 horas de quinta-feira, 17, representantes dos grevistas participarão de uma audiência de conciliação no Palácio da Justiça.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.