Serviço Funerário recomenda não usar serviço de 'enxadinha'

Funcionários públicos vão estar uniformizados para ajudar visitantes; padre Marcelo deve atrair grande público a santuário

O Estado de S.Paulo

01 de novembro de 2012 | 02h04

Nesta sexta, os cemitérios municipais e o Crematório da Vila Alpina devem receber aproximadamente 1,8 milhão de visitantes. As principais recomendações da Prefeitura aos visitantes são paciência para chegar aos locais e evitar o trabalho dos chamados "enxadinhas", que cobram para colocar flores e limpar túmulos.

O Serviço Funerário informa que há profissionais credenciados pela administração dos cemitérios para cuidar dos túmulos. Eles possuem carteirinha e usam jalecos verdes (jardineiros) ou beges (construtores).

Outra recomendação é para que as pessoas adotem procedimentos contra a dengue. A ideia é que sejam retirados os sacos plásticos que envolvem vasos de flores e se substitua água por areia nos pratinhos.

Programação. Alguns cemitérios particulares prepararam programação especial. No Cemitério Primaveras, em Guarulhos, por exemplo, haverá uma missa campal hoje, às 20h, seguida de espetáculo da Cia. Do Fogo. Seis atores circenses e dois músicos vão se apresentar com malabares e dança acrobática com tochas, teatro de sombras e instrumentos musicais.

Já a Associação dos Cemitérios Protestantes de São Paulo (Acempro) realizará o "Dia da Lembrança", com atividades musicais e religiosas em cinco cemitérios: da Paz, Protestantes, Redentor, Colônia e Horto da Paz.

Padre Marcelo. Um dos locais com maior trânsito deve ser o Cemitério de Congonhas. Isso porque próximo dali ocorrerá a inauguração do novo templo do padre Marcelo Rossi. "Nossa recomendação especial é paciência", disse o administrador do cemitério, Clóvis Almeida. /J.D.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.