Serra visita São Luiz do Paraitinga e anuncia medidas de auxílio

Secretaria vai liberar verbas para recuperação do setor de saúde, habitação e isenções; carnaval foi cancelado

Agência Estado,

06 Janeiro 2010 | 16h15

O governador de São Paulo, José Serra (PSDB), visitou nesta quarta-feira, 6, São Luiz do Paraitinga, no Vale do Paraíba, e anunciou algumas medidas emergenciais para ajudar a reconstruir a cidade histórica, devastada pela inundação do rio Paraitinga no primeiro dia do ano. A Secretaria de Saúde do Estado vai liberar R$ 750 mil para a reforma e equipamentos das duas unidades da cidade, R$ 450 mil para a Unidade Básica de Saúde e R$ 300 mil para a reconstrução total da Unidade de Saúde da Família.

 

Veja também:

linkSecretaria de Saúde envia remédios para São Luiz do Paraitinga

linkLeia a cobertura completa sobre a tragédia em São Luiz do Paraitinga

 

Serra e prefeita da cidade, Ana Lúcia, em frente ao local onde era a Igreja Matriz. Foto: José Patrício/AE

 

Na área de habitação, a Companhia de Desenvolvimento Habitacional e Urbano (CDHU) construirá cem unidades habitacionais para remanejar moradores de áreas de risco. Uma linha de crédito será disponibilizada para financiar a reforma de casas de famílias que ganham de 1 a 10 salários mínimos. As condições variam conforme a faixa de renda, mas a CDHU pode subsidiar até 50% do financiamento.

 

Haverá também linhas com juros subsidiados, com recursos da Agência de Fomento do Estado, para a reconstrução de estabelecimentos comerciais, recomposição de estoques e compra de máquinas e equipamentos. A Secretaria da Fazenda vai parcelar o ICMS que deveria ser pago em janeiro das empresas instaladas no município. Os contribuintes poderão recolher o imposto previsto para esse mês em três parcelas a serem pagas no último dia útil dos meses de janeiro, fevereiro e março.

 

A população da cidade ficará isenta do pagamento de tarifas de água durante um período de 60 dias. Para aqueles que tiveram seus imóveis afetados, será concedida tarifa social por seis meses. Com isso, o domicílio que hoje paga tarifa mínima (R$ 24,56 de água e esgoto por mês) passará a pagar a tarifa social de R$ 8,32.

 

Máquinas da Companhia de Desenvolvimento Agrícola de São Paulo (Codasp) estão na cidade para desobstruir estradas e liberar pontes. O governo informou que deve gastar cerca de R$ 10 milhões em ações emergenciais para recuperar cidades atingidas pelas chuvas em todo o Estado, como os municípios de São Luiz do Paraitinga e Cunha.

 

CARNAVAL CANCELADO

 

Também nesta quarta, a Prefeitura de São Luiz do Paraitinga cancelou o Carnaval que seria realizado em fevereiro deste ano devido aos prejuízos causados pelas chuvas. Segundo informações da Prefeitura, o objetivo é reconstruir o município e assegurar o retorno dos moradores as suas casas.

 

De acordo com a Defesa Civil estadual, São Luiz do Paraitinga que foi uma das cidades mais afetadas pelo mau tempo decretou situação de emergência. Mais de cinco mil moradores foram afetados pelas chuvas. Cerca de 70 casarões tombados pelo patrimônio histórico ruíram ou tiveram estruturas abaladas. A cruz de concreto da Igreja da Matriz ruiu no sábado. Uma escola municipal que seria usada para abrigar moradores e distribuir sopa também foi destruída.

 

(Com Priscila Trindade, da Central de Notícias)

Mais conteúdo sobre:
São Luiz do Paraitinga

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.