Serra lança tarifa do madrugador em SP

Bilhetes ficam mais baratos para quem usa metrô as 4h40 às 6h e trem das 4h às 5h20

Daniela do Canto, Central de Notícias

09 Março 2009 | 05h16

O governador José Serra (PSDB) participou na madrugada desta segunda-feira, 9, do lançamento da tarifa do madrugador, que oferece desconto no preço da passagem para quem utiliza os trens do metrô entre as 4h40 e 6h e os da Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM) das 4h às 5h20. Nesses horários, o valor passou a ser R$ 0,20 mais baixo do que o praticado ao longo do dia. Por uma viagem de trem ou metrô, o usuário pagará R$ 2,35. Na integração com o ônibus, a tarifa terá um custo final de R$ 3,60.   "Estamos dando uma cobertura para quem viaja mais cedo", disse o governador, que durante a madrugada participou de uma viagem de trem de 23 minutos, que saiu da estação do Brás e foi até Guaianazes, onde Serra deu uma entrevista coletiva.   Durante a entrevista, ele negou que a tarifa do madrugador seja uma tentativa de desviar a atenção do aumento do preço da passagem unitária do metrô e da CPTM de R$ 2,40 para R$ 2,55, em vigor desde o mês passado. Para ser atendida pela tarifa do madrugador, a pessoa tem de usar o bilhete único comum e a catraca cobra automaticamente o valor reduzido nos horários estabelecidos, de segunda a sexta-feira. O desconto não vale para os usuários de vale-transporte, cartão fidelidade e bilhetes lazer da CPTM e do metrô.   Na opinião do estudante Leandro Santos Silva, 19 anos, o desconto é muito pequeno. "Em um mês você economiza R$ 4. Com esse dinheiro você não faz praticamente nada", avaliou. Mas para a auxiliar de limpeza Patrícia Maria Matos, de 32 anos, o valor mais baixo será sentido no bolso. "Faz toda a diferença no final do mês", disse.   A auxiliar de limpeza Sônia de Fátima Rodrigues, 28, revelou ter pensado que o desconto era um erro do sistema. "Mas ele podia ser maior, de pelo menos uns R$ 0,40", opinou. Uma colega, a também auxiliar de limpeza Maria José de Lima, de 41 anos, contou ter acreditado que os R$ 0,20 a menos eram uma promoção passageira quando percebeu o valor menor debitado. "Moro no Lajeado e venho a pé até Guaianazes para pegar o trem. Demoro meia hora. Agora, com o dinheiro que vou economizar, dá para pegar a perua de vez em quando em vez de vir a pé, quando eu estiver cansada ou estiver chovendo".   Central de monitoramento   O governador José Serra também visitou a nova central de monitoramento da CPTM, que passou a operar a partir desta segunda-feira, 9. Ela garante o acompanhamento em tempo real do movimento das 89 estações do sistema, geradas por 1.578 câmeras, 24 horas por dia.   A sala está instalada junto ao Centro de Controle Operacional (CCO) no Brás e o sistema fica diretamente ligado ao CCO do Metrô e ao Centro de Operações da Polícia Militar (Copom). São 14 postos de trabalho e uma equipe de 42 agentes, que se revezam em três turnos. Foram instalados seis monitores de 42 polegadas - um para cada linha da CPTM, com capacidade de visualização simultânea de 32 imagens cada - e um monitor exclusivo para as denúncias via SMS recebidas pelo celular 7150-4949, uma estação de trabalho que acompanha a situação de todo o sistema e alarmes via rede para outro centro de segurança.   Entre as novidades, a central traz um software que detecta movimento em áreas restritas por meio de uma câmera selecionada e imagens criptografadas, que não podem ser editadas ou alteradas.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.