Serra elogia aprovação de vioconferência em interrogatórios

Governador de SP disse que medida terá bom impacto no Estado e que 600 policiais voltarão à patrulha por isso

Agência Câmara,

10 Dezembro 2008 | 19h35

O governador de São Paulo, José Serra, encontrou-se nesta quarta-feira, 10, com os presidentes da Câmara dos Deputados, Arlindo Chinaglia (PT-SP), e do Senado, Garibaldi Alves Filho (PMBD-RN), para agradecer a aprovação do projeto que permite o interrogatório de presos por videoconferência.   Veja também: Interrogatório por videoconferência segue para sanção de Lula OAB critica uso de videoconferência em interrogatórios   Após a reunião no gabinete da presidência da Câmara, Serra destacou o impacto que a medida terá em São Paulo. "600 policiais que hoje cuidam de escolta de presos vão poder voltar ao patrulhamento. Essa é uma economia de recursos e uma redução de riscos com os traslados dessa natureza", disse.   Serra lembrou que, por falta de uma lei federal, esse procedimento já vinha sendo contestado judicialmente. Segundo o governador, 3.641 presos em São Paulo aguardam para ser interrogados por videoconferência, e seus advogados já estavam preparando recursos contra esse procedimento. Agora, ressaltou, não haverá mais risco de que esses recursos sejam acolhidos pelo Judiciário.   Serra disse ainda ter certeza de que o presidente Luiz Inácio Lula da Silva vai sancionar a proposta, que, na avaliação do governador, é um salto na direção da modernidade no enfrentamento do crime.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.