Andre Lessa/AE
Andre Lessa/AE

Sérgio Cardoso reabre em setembro

Reforma do teatro custará R$ 7,6 milhões aos cofres estaduais; uma das salas da Bela Vista terá prioridade para espetáculos de dança

Vitor Hugo Brandalise, O Estado de S.Paulo

24 de junho de 2011 | 00h00

Fechado desde dezembro, o Teatro Sérgio Cardoso, na Bela Vista, região central de São Paulo, já tem data para ser reaberto: será em 7 de setembro, com a peça Ensina-me a Viver, protagonizada por Glória Menezes. Uma das salas será destinada ao Teatro de Dança, projeto ligado ao governo estadual que foi desalojado em maio.

A data da reabertura foi anunciada ontem pelo governador de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB), em vistoria ao local. As obras começaram em agosto e custaram R$ 7,6 milhões ao governo do Estado - a princípio, a previsão era gastar R$ 5,5 milhões, mas "obras imprevistas" causaram um aumento no valor do projeto.

"Falta teatro hoje em São Paulo. Com a reinauguração, a cidade recebe de volta uma de suas maiores salas, com 840 lugares", disse Alckmin. "O palco é um dos maiores da cidade e poderá receber até grandes companhias de balé."

Além de restauro da fachada, recuperação das duas salas do teatro, dos camarins e instalação de elevadores acessíveis, o teatro ganha uma cobertura de vidro sobre os três pisos superiores, permitindo melhor iluminação natural. A área administrativa foi ampliada em 950 metros quadrados e o teatro passará a contar com um café no último andar.

"Será um grande orgulho inaugurar um teatro como esse, cuja história vem desde a década de 1950, quando ainda era o Teatro Bela Vista, e no qual o Tarcísio (Meira) estreou como ator", disse a atriz Glória Menezes, que participou da vistoria. "Fico felicíssima com a promessa de participar da reabertura do teatro."

Programação. Administrado pela Secretaria de Cultura e pela Associação Paulista dos Amigos da Arte, o Teatro Sérgio Cardoso terá sua programação definida para o restante do ano somente nos próximos meses.

PARA LEMBRAR

Itália deixará de ter exibições

A reabertura do Teatro Sergio Cardoso encerra também uma polêmica criada dentro da Secretaria de Estado da Cultura: a Sala Paschoal Carlos Magno (144 lugares) passará a acomodar o Teatro de Dança, projeto que anteriormente tinha sede no teatro do Edifício Itália, no centro da cidade. Por conta das más condições da sala que ocupava, a secretaria chegou a anunciar o encerramento das atividades do Teatro de Dança, no próximo dia 2 de julho.

A notícia provocou reações adversas dos bailarinos, que não queriam deixar o centro. "Assim que reabrir, o Teatro de Dança virá para cá. Será um espaço mais adequado", garantiu o secretário da Cultura, Andrea Matarazzo.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.