Sequestro termina com dois suspeitos mortos na zona oeste de SP

Houve perseguição e troca de tiros na rua e dentro da casa das vítimas que eram mantidas reféns

Rafael Italiani, O Estado de S. Paulo

13 Março 2015 | 21h02

Um sequestro na manhã desta sexta-feira, 13, terminou com dois criminosos mortos e um preso, no bairro do Rio Pequeno, na zona oeste, e em Osasco, na região metropolitana de São Paulo. Houve perseguição e troca de tiros na rua e dentro da casa das vítimas que eram mantidas reféns. Um dos criminosos morreu na sala da família que havia sido sequestrada. Dois bandidos fugiram.

Segundo a PM, um bando formado por cinco suspeitos invadiu, por volta das 8 horas, a casa de um comerciante de 47 anos, em Osasco. Eles usavam coletes do Grupo de Operações Especiais (GOE) e do Departamento Estadual de Investigações Criminais (Deic). 

De acordo com a Polícia Militar, a perseguição começou na Rua Coronel Jaime Americano, na capital. Os policiais suspeitaram da placa de um veículo Nissan Sentra branco com um Giroflex na dianteira. O equipamento é o mesmo usado em viaturas. 

Ao checar a placa do veículo, os PMs constataram que era um carro roubado. Durante a perseguição, os suspeitos perderam o controle do veículo e bateram em um Mitsubishi Pajero. 

Segundo os policiais, um dos suspeitos, armado com uma pistola calibre .40, disparou contra eles, que revidaram. O sequestrador foi baleado no peito e na barriga e morreu no local. 

O segundo criminoso, desarmado, tentou fugir e foi preso. O comerciante, que estava amarrado dentro do Nissan Sentra, foi libertado pela polícia. A intenção dos criminosos era fazer saques em caixas eletrônicos com o cartão da vítima.

Ao ser libertado, o comerciante disse que o restante do bando estava na casa dele, em Osasco, onde mantinha mulher e filhos reféns. Os policiais entraram na casa pulando um dos muros e houve troca de tiros no quintal. Os bandidos voltaram para dentro da residência e, na sala, houve novo tiroteio e mais um criminoso foi baleado e morto.

Nenhuma das pessoas mantidas reféns ficou ferida. Os PMs também saíram ilesos. O caso será investigado pelo Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa.

Mais conteúdo sobre:
São Paulo

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.