Luiza Alcalde/AE
Luiza Alcalde/AE

Sequestro duplo e tiroteio no Morumbi

Reféns foram rendidos em bairros distintos; houve perseguição e vítima ficou ferida

Luísa Alcalde / JORNAL DA TARDE, O Estado de S.Paulo

13 Maio 2011 | 00h00

Dois empresários foram vítimas ontem, na zona sul de São Paulo, de um sequestro relâmpago duplo. Os dois não se conheciam, foram rendidos pelos mesmos bandidos e mantidos reféns em um carro. Abordados pela polícia no Morumbi, os bandidos tentaram fugir. Uma das vítimas foi jogada do veículo, socorrida e levada ao Hospital Albert Einstein. Houve perseguição e um dos criminosos foi baleado. O outro empresário não se feriu.

Esse não foi o primeiro caso de sequestro relâmpago com mais de uma vítima. Na terça-feira, quatro pessoas foram mantidas em um Fiat Doblò, após serem abordadas nos bairros da Saúde, Vila Mariana, Morumbi e na Estrada do Campo Limpo. Um policial militar afirmou que o caso de ontem foi o terceiro que ele atendeu em 15 dias.

No caso de ontem, o primeiro empresário, P.H.M, de 29 anos, foi abordado por dois homens por volta das 7h quando ia de carro, de São Bernardo do Campo, para uma reunião de trabalho no Jabaquara. Na Avenida Engenheiro George Corbisier, o celular tocou e M. parou o veículo para atender. Foi rendido por Clenílton dos Santos Leandro e seu comparsa, identificado apenas como Luan. Eles estavam a pé e portavam uma pistola.

Os bandidos mandaram o empresário sentar no banco do passageiro e um deles assumiu a direção do Siena da vítima. Depois de obrigar M. a entregar três cartões de crédito e um de débito e revelar todas as senhas, eles o mandaram ficar com os olhos fechados durante parte do percurso. No meio do caminho, encontraram dois comparsas que estavam em uma moto. Após uma hora e meia rodando, a dupla rendeu outro motorista, que estava fora do carro, na Rua Castelhano, no Morumbi. O empresário R.C., de cerca de 50 anos, não conseguia lembrar as senhas dos cartões. "Isso deixou os bandidos muito nervosos e eles passaram a fazer ameaças", afirmou o empresário rendido.

Uma testemunha ligou para a Polícia Militar e informou a placa do veículo, que foi identificado por uma viatura. Houve perseguição e o segundo empresário foi jogado do carro pelos bandidos.

O Siena só parou ao bater em um poste. Baleado, um dos criminosos foi levado ao Hospital do Campo Limpo. Seu comparsa foi preso. Os motoqueiros não foram identificados.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.