Sequestradores incendeiam carro com refém dentro na zona sul de São Paulo

Caso deixasse o carro em chamas, vendedor seria morto pelos criminosos; vítima sobreviveu

Ricardo Valota, O Estado de S.Paulo,

31 Agosto 2012 | 05h50

SÃO PAULO - Um vendedor quase morreu queimado ao ser vítima de sequestro-relâmpago, ficar refém por quatro horas e ser obrigado a permanecer no carro, que foi incendiado pelos criminosos, na noite de quinta-feira, 30, na região do Capão Redondo, zona sul da capital paulista.

 

Marcelo Bustamante Gonçalves, de 26 anos, e  Daiana Pedro da Silva, de 22 anos, também vendedora, estavam de carro foram abordados num dos semáforos da Avenida Carlos Caldeira Filho por dois homens em uma moto. Um terceiro homem assumiu a moto enquanto a dupla entrou no carro das vítimas.

Durante quatro horas os dois bandidos mantiveram reféns Marcelo e Daiana, mas não conseguiram fazer compras nem sacar dinheiro com os cartões das vítimas. A dupla então resolveu liberar a jovem e seguiu com Marcelo até a Rua Ana Aslan, no Jardim das Rosas, ainda na região do Capão Redondo, onde obrigou o rapaz a permanecer no carro.

Na sequência, os criminosos incendiaram o veículo e ameaçaram matar o rapaz caso ele deixasse o veículo. Já ferido com queimaduras de primeiro e segundo graus, Marcelo saiu do Fiat assim que os bandidos foram embora. Nenhum dos três criminosos havia sido detido até as 5h45 desta manhã de sexta-feira, 31.

O vendedor está internado no Hospital Intermédica. O caso foi registrado no 47º Distrito Policial, do Capão Redondo, pelo delegado Júlio Ricardo de Oliveira.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.