Sepultura dá vida ao Sunset

Marcado para começar às 18 h, o show do Sepultura com os franceses do Tambours Du Bronx teve início com uma hora e 15 minutos de atraso. Mas quando a banda subiu ao palco, o que se viu foi um daqueles casos em que a mistura e os encontros pretendidos pelo Sunset funciona. A comunhão com o Tambours Du Bronx foi pra lá de entrosada.

LUCAS NOBILE , ENVIADO ESPECIAL / RIO, O Estado de S.Paulo

26 de setembro de 2011 | 03h03

Se a performance musical foi a melhor do dia naquele palco, o mesmo não se pode dizer - novamente - da equalização do som.

A impressão que dava era a de que tinham delegado a função de operar a mesa sonora a uma criança que ficava descobrindo os botões. Todos os instrumentos eram aumentados e diminuídos ao longo de toda a apresentação. O show perdeu a graça devido ao volume baixíssimo. O vocalista Derrick Green não teve culpa, mas para o tipo de som que eles fazem sua voz era praticamente um "sussurro joãogilbertiano".

Este domingo do metal é o que atrai os fãs mais leais do Rock in Rio e também o de maior público no palco Sunset, que esteve lotado na apresentação do Sepultura. Nenhuma atração, roqueira ou não, atraiu tanta gente quanto a banda mineira.

Mas o público do Sepultura ficou revoltado com o show sendo realizado no mesmo horário que o do Gloria, porque o som da banda paulistana no Palco Mundo vazou. Quem estava mais no fundo, foi bem prejudicado pelo vazamento de som. "Mais volume!", "Gloria, vai tomar no c...!", gritavam. "Isso é um absurdo, todo mundo gosta do Sepultura, é pátria!", reclamava o jovem paulista Diego Marco.

Korzus. Tendo como convidado o veterano East Bay Ray, de 53 anos, guitarrista da lendária banda punk Dead Kennedys, o grupo brasileiro de metal Korzus fez tremer a Cidade do Rock quando, durante sua apresentação, o público ensaiou um mosh gigantesco, com os fãs se jogando uns contra os outros. Metal à parte, o vocalista Marcelo Pompeu bradava contra a corrupção no País, pedindo para os corruptos "o símbolo da intimidação", um dedo médio em riste que toda a plateia imitou.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.