Sem vaga na escola

Estou angustiada, pois não consigo matricular minha filha de 5 anos numa escola da Prefeitura de São Paulo. Em janeiro de 2008, cadastrei a menina na Escola Municipal de Educação Infantil (Emei) Jardim Carombe, mas até hoje ela não foi chamada. Fiz outro cadastro, em setembro de 2009, no Centro Educacional Unificado (CEU) Jardim Paulistano, mas até hoje não obtive retorno sobre quando haverá uma vaga. Estudar é um direito básico de qualquer criança. Há muita propaganda anunciando que a Prefeitura matriculou milhares de crianças na escola, mas muitas que vivem na Freguesia do Ó e na Brasilândia ainda esperam por vagas.

, O Estadao de S.Paulo

19 Março 2010 | 00h00

ADJEANETE ARRUDA OLIVEIRA SILVA / SÃO PAULO

A Diretoria Regional de Educação da Freguesia do Ó / Brasilândia informa que a filha da sra. Adjeanete está cadastrada e aguarda vaga no CEU Emei Jardim Paulistano. Explica que o atendimento é feito pela ordem numérica de cadastramento. Esclarece que o número do protocolo de cadastro é fornecido no ato da matrícula e serve para que a família acompanhe, com total transparência, o andamento do processo. Diz ainda que os responsáveis poderão consultar o Portal da Educação ou a listagem afixada em qualquer escola do mesmo distrito/setor. Para fazer a consulta pela internet é preciso acessar o site www.portalsme.prefeitura.sp.gov.br e no canto inferior esquerdo da tela clicar em: Educação; Educação Infantil; cadastro de demanda; ficha de cadastramento (somente o modelo do formulário); lista de candidatos a vaga em escolas da rede municipal de ensino; e consulta individual.

A leitora comenta: O problema não foi resolvido. Como foi dito na resposta, continuo aguardando a vaga que nunca sai.

ADMINISTRAÇÃO

Relógios de rua quebrados Já faz um tempão que os relógios de rua (aqueles que dão a hora e a temperatura) estão desligados na capital. Se o contrato terminou, já deveria ter sido feita uma nova licitação. O valor do IPTU aumentou, mas a cidade está abandonada.

RENATO KHAIR / SÃO PAULO

A Empresa Municipal de Urbanização (Emurb) explica que encarregou funcionários da Secretaria de Infraestrutura Urbana e Obras (Siurb) de inspecionar e fazer um diagnóstico dos relógios públicos da cidade, até que uma empresa, a ser contratada mediante licitação, possa fazer a manutenção dos equipamentos. Diz que os relógios estão sendo religados nas Avenidas 9 de Julho, Paulista, Rebouças, Rubem Berta, Faria Lima, Cruzeiro do Sul, Abraão de Moraes, 23 de Maio, Brasil, Bandeirantes, Alcântara Machado e Cupecê. Cada um dos equipamentos está sendo examinado para definir quantos e quais deverão passar por manutenção, já que são relógios de tecnologia obsoleta e não há peças para reposição - muitos voltaram a dar defeito depois de religados. Esclarece que ontem (18/3) saiu o resultado da licitação provisória para o diagnóstico e a manutenção dos relógios. A licitação definitiva será feita após a aprovação, pela Câmara Municipal, do projeto de lei que trata da concessão do Mobiliário Urbano, que inclui, além dos relógios, abrigos de paradas de transporte coletivo e totens indicativos de paradas de ônibus.

DESCASO EM SUZANO

Cidadãos versus prefeitura

Há três anos os moradores da Praça Dez, no bairro Parque Maria Helena, em Suzano, passam por inúmeros problemas e ninguém faz nada. Enchentes; esgoto voltando para dentro das casas; pavimentação feita de forma errada; mato crescendo em propriedade da prefeitura; calçada pública malconservada; proliferação de ratos, insetos e até do mosquito da dengue. Temos documentos e fotos que comprovam o descaso da prefeitura.

VICENTINA GUIGNONI / SUZANO

A Secretaria Municipal de Manutenção e Serviços Urbanos de Suzano informa que está sendo concluída a capinação do mato de todo o Parque Maria Helena e que a limpeza de bocas de lobo e galerias está em andamento. Diz que não há problemas na pavimentação realizada na atual administração. A obra, incluindo a rede de galerias de águas pluviais, seguiu as normas técnicas vigentes. Informa que o bairro Parque Maria Helena está sujeito a enchentes, porque foi loteado no final dos anos 50, na várzea do Rio Tietê. A prefeitura de Suzano cuida dos detalhes finais do Plano Diretor de Macrodrenagem, que apontará medidas de prevenção e defesa contra inundações, além de ações voltadas às várzeas dos rios e córregos. Diz que diariamente a equipe da Secretaria Municipal de Saúde sai às ruas em busca de focos da dengue. Para minimizar o incômodo à população, o setor de zoonoses aplica a termonebulização em alguns bairros, onde há maior incidência de focos de larva do Aedes aegypti, e ainda produtos larvicidas em lagoas e rios para evitar a proliferação de pernilongo. Sobre o esgoto, diz que o serviço é de responsabilidade da Sabesp.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.