Sem-teto voltam a acampar diante da Prefeitura

Cerca de 25 famílias do Movimento dos Sem Teto do Sacomã (MSTS) voltaram a acampar no Viaduto do Chá, ao lado do prédio da Prefeitura de São Paulo, no centro da capital, para pressionar a gestão Fernando Haddad (PT) a inclui-los em programas habitacionais.

O Estado de S.Paulo

07 de outubro de 2013 | 02h06

O grupo chegou ao local na noite de sexta-feira e ganhou adesão de parte dos moradores sem-teto que desde julho ocupam um prédio na Rua Conselheiro Crispiniano, onde funcionava o Museu do Disco, atrás do Teatro Municipal.

Segundo Mara Elisa Marques Moreira, de 23 anos, integrante do MSTS, a Prefeitura cadastrou cerca de 600 famílias que ocupam um prédio particular no bairro do Sacomã, na zona sul, cuja reintegração de posse foi marcada por decisão judicial para o dia 16 de outubro.

"Vamos ficar aqui até sermos atendidos pela Prefeitura. Nos prometeram programa habitacional, fizeram cadastro e até agora nada", disse Mara Elisa, que estava em uma barraca com marido e dois filhos. Em julho, o MSTS já havia acampado em frente à Prefeitura e deixou o local após a promessa de cadastramento da atual gestão.

Segundo a prefeitura, a gestão Fernando Haddad está aberta ao diálogo com os movimentos de luta por moradia e vai construir até 2016 mais 55 mil novas casas para moradores sem-teto. / FABIO LEITE

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.