Sem-teto serão retirados de área invadida em Mauá

Cerca de 150 famílias estão acampadas no local deste o último dia 28 de março

Ricardo Valota, do estadão.com.br,

10 de junho de 2008 | 04h01

Está prevista para às 6h30 desta manhã de terça-feira a retirada de cerca de 150 famílias de sem teto que ocupam desde o dia 28 de março deste ano um terreno localizado na esquina da rua João Carlos de Azevedo com a rua Pedro Garcia Fernandes, no Jardim Lisboa, em Mauá, no Grande ABC. A ação de reintegração do terreno, batizado pelos invasores como "Acampamento Terra e Liberdade", será cumprida por policiais militares do 30º Batalhão. Até as 2h30 desta madrugada, o Comando de Policiamento de Choque da Polícia Militar não havia confirmado se a Tropa de Choque irá auxiliar na retirada dos invasores, ligados ao Movimento dos Trabalhadores Sem Teto (MTST). Segundo nota enviada pelo movimento, mesmo com o prefeito de Mauá, Leonel Damo, do Partido Verde, ter se mostrado favorável em ceder 100 bolsas - uma ajuda financeira às famílias que não teriam para onde ir e necessitariam pagar aluguel assim que forem despejadas - o Comando de Policiamento de Área estaria irredutível e não quer aguardar a implementação dessas bolsas. A ocupação deste terreno em Mauá faz parte de uma das várias invasões que ocorreram no mesmo dia em diversos pontos do país. Entre as áreas ocupadas pelo MTST no dia 28 de março, há uma pertencente a um convento, no Jardim Santa Terezinha, em Campinas (SP), outra no Jardim Tomé, em Embu, na Grande SP. As invasões fizeram parte de uma manifestação nacional chamada "Jornada de Lutas", que foi realizada em nove estados.

Tudo o que sabemos sobre:
Mauásem-tetoreintegração de posse

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.