Sem teto devem deixar nesta manhã prédio invadido na avenida Ipiranga

Movimento social tentou, junto ao Tribunal de Justiça de São Paulo, suspender a reintegração e não conseguiram; invasores se comprometeram a colaborar com a Polícia Militar

Ricardo Valota, do estadão.com.br

25 de novembro de 2010 | 01h56

SÃO PAULO - As cerca de 1.200 pessoas, entre elas quase 400 crianças, que invadiram e ocupam desde o dia 4 de outubro o prédio nº 905 da avenida Ipiranga, região central de São Paulo, serão retiradas do edifício durante cumprimento de decisão judicial de reintegração de posse marcada para o início da manhã desta quinta-feira, 25.

As famílias de sem teto, coordenadas pela Frente de Luta por Moradia (FLM), tentaram na terça-feira, 23, junto ao Tribunal de Justiça de São Paulo (TJ-SP), suspender a reintegração, mas não conseguiram e, segundo uma das coordenadoras das famílias, já houve uma reunião entre os sem teto e a Polícia Militar, na qual os sem teto se comprometeram a colaborar com o trabalho dos policiais.

Segundo os sem teto, os policiais militares devem chegar ao local por volta das 5h30, mas a previsão é de que a saída das famílias comece somente após as 7h30. O prédio invadido e que estava abandonado pertence, segundo os invasores, à HM Engenharia, que faz parte do grupo Camargo Corrêa. A Sala de Imprensa da PM, até a 1h45 desta quinta-feira, não havia recebido informação alguma sobre a reintegração.

Segundo nota da FLM, "no prédio, que estava abandonado abrigando ratos, baratas e lixo, se encontram 1200 pessoas sendo 373 crianças, e desde a ocupação tem cheiro de limpeza e da comida que é preparada na cozinha coletiva no primeiro andar".

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.