Sem tabela, taxistas não podem reajustar tarifa

Bandeirada e quilômetro rodado sobem 18% hoje, mas Prefeitura ainda não distribuiu tabela para conversão de valores

Bruno Ribeiro / JORNAL DA TARDE, O Estado de S.Paulo

15 Janeiro 2011 | 00h00

O aumento médio de 18% nas tarifas de táxi da capital está valendo desde a meia-noite de hoje, mas parte dos taxistas não tem como aderir à nova tarifa. A Prefeitura exige que eles tenham uma tabela para a conversão dos valores antigos para os novos, mas a distribuição do material só deve começar segunda-feira.

Essa tabela, entretanto, está sendo vendida pelo Sindicato dos Taxistas de São Paulo (Sinditaxisp). Custa R$ 15, segundo o presidente da entidade, Natalício Bezerra da Silva. "A tabela que o DTP (Departamento de Transportes Públicos) vai distribuir (gratuitamente) é confeccionada por nós", informa. "Enviamos 5 mil tabelas para a Prefeitura." A cidade tem, ao todo, 35 mil taxistas registrados no DTP.

A distribuição gratuita do material é exclusiva para os motoristas associados ao sindicato. "Não ia ficar bem o sócio (associado do sindicato) receber graciosamente a tabela e o não sócio também. Por isso a cobrança", justifica o sindicalista.

A tabela é uma segurança para o passageiro. Enquanto os taxímetros não são ajustados para cobrar a nova tarifa, é com as tabelas que a conversão de valores é feita. Ao término da corrida, o passageiro vê o valor no taxímetro e usa a tabela para encontrar o preço correspondente da corrida, já com o reajuste.

A tarifa do táxi não sofria reajuste desde dezembro de 2006. O aumento foi divulgado no fechar de 2010, no fim da tarde do dia 30 de dezembro.

Em nota, a Secretaria Municipal de Transportes informa que "os taxistas terão de 19 de janeiro a 3 de março de 2011 para atualizar o taxímetro, conforme cronograma do Instituto de Pesos e Medidas (Ipem) do Estado de São Paulo, de acordo com a Categoria que prestam serviço".

A Prefeitura foi questionada pela reportagem, mas não informou o motivo de a distribuição das tabelas não ter sido feita previamente. Não se pronunciou também sobre o fato de ter deixado a confecção do material para o sindicato dos taxistas e se houve permissão de cobrança do material para taxistas que não são sindicalizados ou se pretende tomar alguma providência diante desse quadro.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.