Sem tabela, taxistas não podem reajustar tarifa

Bandeirada e quilômetro rodado sobem 18% hoje, mas Prefeitura ainda não distribuiu tabela para conversão de valores

Bruno Ribeiro / JORNAL DA TARDE, O Estado de S.Paulo

15 de janeiro de 2011 | 00h00

O aumento médio de 18% nas tarifas de táxi da capital está valendo desde a meia-noite de hoje, mas parte dos taxistas não tem como aderir à nova tarifa. A Prefeitura exige que eles tenham uma tabela para a conversão dos valores antigos para os novos, mas a distribuição do material só deve começar segunda-feira.

Essa tabela, entretanto, está sendo vendida pelo Sindicato dos Taxistas de São Paulo (Sinditaxisp). Custa R$ 15, segundo o presidente da entidade, Natalício Bezerra da Silva. "A tabela que o DTP (Departamento de Transportes Públicos) vai distribuir (gratuitamente) é confeccionada por nós", informa. "Enviamos 5 mil tabelas para a Prefeitura." A cidade tem, ao todo, 35 mil taxistas registrados no DTP.

A distribuição gratuita do material é exclusiva para os motoristas associados ao sindicato. "Não ia ficar bem o sócio (associado do sindicato) receber graciosamente a tabela e o não sócio também. Por isso a cobrança", justifica o sindicalista.

A tabela é uma segurança para o passageiro. Enquanto os taxímetros não são ajustados para cobrar a nova tarifa, é com as tabelas que a conversão de valores é feita. Ao término da corrida, o passageiro vê o valor no taxímetro e usa a tabela para encontrar o preço correspondente da corrida, já com o reajuste.

A tarifa do táxi não sofria reajuste desde dezembro de 2006. O aumento foi divulgado no fechar de 2010, no fim da tarde do dia 30 de dezembro.

Em nota, a Secretaria Municipal de Transportes informa que "os taxistas terão de 19 de janeiro a 3 de março de 2011 para atualizar o taxímetro, conforme cronograma do Instituto de Pesos e Medidas (Ipem) do Estado de São Paulo, de acordo com a Categoria que prestam serviço".

A Prefeitura foi questionada pela reportagem, mas não informou o motivo de a distribuição das tabelas não ter sido feita previamente. Não se pronunciou também sobre o fato de ter deixado a confecção do material para o sindicato dos taxistas e se houve permissão de cobrança do material para taxistas que não são sindicalizados ou se pretende tomar alguma providência diante desse quadro.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.