'Sem RG, fiquei sem frango na cerveja'

No domingo, por volta das 20h30, fui ao supermercado Pão de Açúcar da Rua Maria Antônia, na região central. Sempre aparentei ser mais nova do que sou. Há alguns meses, uma funcionária do Extra questionou se eu tinha 18 anos quando passou uma garrafa de vinho na caixa registradora.

O Estado de S.Paulo

22 Novembro 2011 | 03h01

Respondi, sorrindo, que iria fazer 30! Saí saltitante do mercado e desconfiada de que se tratava de alguma estratégia de marketing para fidelizar clientes balzaquianas.

Anteontem, porém, foi diferente. Na hora em que passei uma latinha de cerveja, a caixa pediu meu RG. Estava sem, mas disse que já tenho 30 anos. Ela respondeu que só venderia a bebida com documento. Questionei se a regra vale para todos. Ela retrucou que tem de pedir RG a todos com aparência de "até uns 25 anos".

No fim, tive de ir para casa sem a latinha e deixei de comer um frango na cerveja. Resignada, jantei macarrão com ervilha e queijo ao molho branco.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.