Sem radares, multas a motos na Marginal começam na segunda

CET diz que 65 pessoas, entre marronzinhos e policiais, vão fiscalizar a proibição na pista expressa da Tietê

Bruno Ribeiro e Tiago Dantas, O Estado de S.Paulo

14 de agosto de 2010 | 00h00

Vai ser na base do bloquinho e da caneta, ainda sem radares, mas a fiscalização com multas para motociclistas na pista expressa da Marginal do Tietê começa depois de amanhã. Nos últimos 15 dias, embora já proibida, a circulação de motos não resultava em autuação. Os motoqueiros continuam autorizados a trafegar pelas pistas locais e centrais.

Segundo a Companhia de Engenharia de Tráfego (CET), serão 65 agentes (fiscais da CET e policiais militares). A PM vai montar bloqueios nas entradas da pista expressa. A promessa do secretário municipal de Transportes, Marcelo Branco, era usar seis radares de mão, mas a CET diz que os equipamentos estão em processo de compra.

O Comando de Policiamento de Trânsito (CPTran), da PM, informou que deve reforçar o efetivo policial nesta primeira semana, especificamente entre a Ponte do Tatuapé, na zona leste, e a Ponte Atílio Fontana (da Anhanguera), na zona oeste.

Segundo a CET, desde que a proibição foi anunciada, o número de motoqueiros na pista expressa caiu 88%. Por dia, circulam cerca de 36 mil motos na Marginal do Tietê. A restrição é uma tentativa de reduzir os acidentes fatais com motos na via (foram 26 em 2009).

Caminhões. Também começa na segunda-feira a aplicação de multas para caminhões que desrespeitem os novos limites de velocidade na pista expressa. Caiu de 90 km/h para 70 km/h. A sinalização já está instalada.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.