Sem pagamentos, obra de cadeia feminina para

As obras da penitenciária feminina que o governo estadual constrói em Votorantim, a 102 km de São Paulo, estão paradas desde segunda-feira e sem previsão de retomada. Os 420 operários alegam atraso no pagamento de salário e falta de material para dar sequência à construção. A construtora MGV Engenharia alegou que o governo estadual vem atrasando os repasses. Já a Secretaria da Administração Penitenciária (SAP) informou que a liberação de recursos está em dia e a paralisação é culpa da construtora.

O Estado de S.Paulo

13 Abril 2012 | 03h08

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.