Sem data para inauguração

PARQUE LINEAR DA INVERNADA - CAMPO BELO

O Estado de S.Paulo

20 de fevereiro de 2013 | 02h02

Como morador do Campo Belo há mais de 25 anos, gostaria de ter informações sobre o Parque Linear da Invernada. Ao saber da criação do parque, comecei a visitar o local para acompanhar as obras. Entretanto, desde novembro tudo parou. Não há mais operários trabalhando, as árvores compradas morreram antes de serem plantadas e as traves da quadra de futebol enferrujaram antes da instalação. O parque é pequeno e não há justificativa para tanta demora para ser inaugurado. A situação me faz temer o pior: que prevaleça o velho costume de novas gestões de sabotar projetos de prefeitos anteriores.

RAFAEL RIBAS / SÃO PAULO

A Secretaria do Verde e do Meio Ambiente esclarece que não há mais trabalhadores no Parque da Invernada porque as obras já estão praticamente prontas. A Prefeitura aguarda apenas a ligação da energia por parte da AES Eletropaulo para finalizar as obras estruturais. O paisagismo será executado após a finalização e recebimento da obra, quando serão contratados serviços de vigilância, manutenção e manejo. As árvores citadas pelo leitor não fazem parte do projeto do parque. Quanto à gestão das quadras, a Secretaria Municipal de Esportes, Lazer e Recreação será a responsável pelas atividades esportivas.

O leitor comenta: Há algum prazo para a inauguração, já considerando o serviço da Eletropaulo? No site da secretaria poderiam constar informações sobre cronograma, localização, gastos, licitações, enfim, dados de interesse público sobre todos os parques em fase de instalação. A maior parte dos moradores do bairro nem sequer sabe da criação do citado parque!

'ACADEMIA' PARA 3ª IDADE

Aparelhos danificados

Há pouco mais de um ano a Prefeitura instalou em diversos parques da cidade aparelhos de ginástica para a terceira idade. Porém, diversos aparelhos instalados na Rua Raul Tabajara, que margeia o Viveiro/Parque Jacques Cousteau, em Interlagos, já estão quebrados. Não se trata de vandalismo; os aparelhos estão apodrecendo prematuramente porque o fabricante não protegeu adequadamente a superfície antes da pintura, e a corrosão está acabando com as chapas e os tubos de aço-carbono. Não somente os usuários habituais estão impedidos de utilizá-los, como os aparelhos apresentam risco de causar ferimentos. Entendo que o fabricante, diante da vida curta útil dos aparelhos, deveria ser obrigado a substituí-los em garantia.

DETLEF SCHULTZE / SÃO PAULO

A Secretaria do Verde e do Meio Ambiente esclarece que identificou os equipamentos danificados e os serviços de reparo serão realizados ainda no primeiro semestre deste ano.

O leitor reclama: A resposta da Secretaria do Verde e do Meio Ambiente denota irresponsabilidade: vão esperar alguma pessoa se acidentar nos equipamentos enferrujados? Por que o reparo não pode ser realizado em 15 dias, por exemplo? E os equipamentos estão ou não na garantia?

SERVIÇO DE BORDO TAM

Voo executivo sem comida

Em voo da TAM classe executiva, fiquei estarrecido com a companhia. Grande parte dos itens do cardápio estava em falta. No café da manhã não serviram café. No almoço, era pegar ou largar o que sobrou, pois não havia escolha. Na sobremesa, ofereceram sorvete de sabores variados, mas, na prática, o sorvete era só para crianças e apenas de um sabor. A TAM está economizando até na comida? Daqui a pouco o passageiro terá de levar lanche de casa. As comissárias pareciam não se importar e ainda reclamavam que voos diurnos são chatos, pois os passageiros não dormem. Gastei para voar com conforto e esperava um bom atendimento, mas, infelizmente, passamos fome e ficamos estressados. Reclamei pelo Fale com o presidente, mas não tive resposta. Lamentável!

FERNANDO V. DE OLIVEIRA

/ SÃO PAULO

A TAM, por meio do Fale com o presidente, diz que lamenta o ocorrido e esclarece que as opções de refeição são embarcadas em quantidades iguais em todos os voos da companhia. Em alguns casos, uma opção pode se esgotar antes por ser mais solicitada do que outras. Informa que os comentários do cliente foram levados ao conhecimento da gerência de serviço de bordo para avaliação.

O leitor reclama: Infelizmente, viajar de avião virou sinônimo de tortura. A resposta da TAM, além de tardia, confirma o péssimo serviço prestado. Se falta opção de comida na classe executiva, imaginem o que acontece na econômica!

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.