Andre Lessa/AE
Andre Lessa/AE

Sem condutor, linha 4 vira atração turística

Curiosos disputam lugar na dianteira para ver a viagem de outro ângulo

Caio do Valle, O Estado de S.Paulo

08 Julho 2011 | 00h00

As janelas frontais dos trens da Linha 4-Amarela do Metrô - aberta no ano passado - estão virando atração turística em São Paulo. Como os trens não operam com condutor, elas permitem aos passageiros ver o túnel e as estações de um ângulo impossível no resto do sistema. Crianças, casais e curiosos em geral disputam espaço na dianteira das composições para acompanhar o deslocamento de um jeito diferente.

"Parece um videogame", diz o arquiteto Disney Haiato Imasato, de 49 anos, que ontem à tarde acompanhava a filha Audrey Harumi, de 16, em uma visita para "conhecer a vista". Para a adolescente, a impressão é de se estar em um filme.

Embora esteja se recuperando de um acidente vascular cerebral (AVC), o aposentado Antero Cardoso Rosa, de 67 anos, também decidiu levar dois de seus netos, de 11 e 14 anos, para passear nos novos trens. Os três, que moram na Vila Matilde, na zona leste, tiveram de pegar três das linhas antigas do Metrô só para chegar à Linha 4-Amarela e aproveitar uma viagem que dura aproximadamente sete minutos - tempo que o trem leva para vencer os 5,2 quilômetros entre as Estações Paulista e Butantã. "É mês de férias e eles me pediram", justifica o aposentado.

De mais longe veio a esteticista Lorine Ribeiro, de 30 anos. Ela vive em Dourados, em Mato Grosso do Sul, e está visitando a irmã na capital paulista. Aproveitou para conhecer a novidade e, com o celular, fotografar o túnel da janela.

"Só quando vem um trem na nossa direção é que dá um certo medo." Ela disse que outra característica que chamou sua atenção é o fato de o trem não ter divisórias entre os vagões.

De acordo com a concessionária responsável pela operação da Linha 4-Amarela, que tem quatro estações abertas - Butantã, Pinheiros, Faria Lima e Paulista -, cinco trens rodam nos horários de pico e quatro nos momentos do dia em que a procura é menor. A ViaQuatro informou ainda que cada composição tem 128 metros de extensão. De fabricação coreana, os trens são operados por computadores.

Romance. Alguns casais que usam os trens da linha aproveitam para namorar nas janelas frontais, observando as curvas, subidas e descidas do túnel.

Era o caso, ontem, do bancário Jeferson Simões, de 27 anos, e de sua mulher, a professora Marcela Massigli, de 30.

"Acaba sendo romântico. É um lugar diferente de São Paulo para a gente conhecer. Também fiquei imaginando como deve ter sido o acidente na Estação Pinheiros (que deixou sete mortos, em 2007) e como construíram tudo isso aqui", afirma Simões.

Na opinião de Marcela, a sensação se assemelha à de uma montanha-russa. "É uma vista legal. Você não vê só a parede do túnel." Separadas por uma porta de emergência, as janelas frontais poderiam ser maiores e mais próximas das pessoas - há uma caixa de maquinário embaixo delas -, na opinião dos usuários.

A Linha 4-Amarela funciona em horário reduzido: de segunda a sexta-feira, das 4h40 às 21h. A promessa é que entre em horário normal, até a meia-noite, em setembro.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.