Sem carteira, motorista atropela 6 e mata jovem de 13 anos

Ernando Claudino admitiu ter bebido; outras cinco pessoas, entre elas duas crianças, estão gravemente feridas

Josmar Josino, do Jornal da Tarde,

11 de agosto de 2008 | 01h49

O ajudante Ernando Manoel Claudino, 33 anos, atropelou no domingo, 10, e matou Jenifer Madalena de Souza Lopes, 13 anos, na Rua Assis Abude, bairro Jardim Nova Cidade, em Guarulhos, Grande São Paulo. Cinco pessoas - entre elas duas crianças - que conversavam com a menina na calçada ficaram gravemente feridas e foram internadas em hospitais da região. Segundo a Polícia Civil, o motorista não tem carteira de habilitação e admitiu ter tomado duas cervejas. Cluadino foi autuado em flagrante por homicídio doloso. Testemunhas contaram à polícia que o corpo da menina ficou preso nas ferragens do carro e foi arrastado por cinco metros. Ficaram feridos Tânia Francisca de Souza Lopes, 44 anos, mãe de Jenifer; Larissa Ambrósio, 9 anos; Rudney Muller de Souza Luvester, 7 anos; Jorge Luís Caldeira da Silva, 15 anos, e Jonatha Diniz Santana, 14 anos. O atropelamento foi registrado no 4º Distrito de Guarulhos pelo delegado José Cristiano Lobo e escrivão Manoel Ferreira Neto. Lobo disse ao Jornal da Tarde que o motorista foi submetido ao teste de bafômetro na delegacia. "O teste constatou 0,476 decigrama por litro de sangue. O tolerável é 0,6. Como ele não é habilitado foi autuado em flagrante por homicídio doloso (com intenção)", acrescentou o delegado. Ainda de acordo com Lobo, o ajudante contou que dirigia sem carteira de habilitação havia cinco anos. Claudino foi removido para o Instituto Médico Legal para ser submetido a exame de dosagem alcoólica. O motorista dirigia um Gol em alta velocidade quando perdeu o controle do veículo, que subiu na calçada e atropelou as seis pessoas. O escrivão Neto afirmou que os feridos foram levados para o Hospital Geral de Guarulhos, mas deveriam ser transferidos para outras unidades com maiores recursos de atendimento médico. Fomos informados por policiais militares que o estado dessas pessoas é gravíssimo. Os PMs também disseram que elas seriam removidas para outros hospitais", ressaltou Neto. O Gol dirigido por Claudino ficou bem danificado. "O carro está praticamente destruído. O motorista dirigia em alta velocidade e o impacto foi muito forte", acrescentou o escrivão. Claudino também seria submetido na noite de domingo à exame de corpo de delito. Depois disso, segundo o delegado Lobo, ele seria conduzido para o Centro de Detenção Provisória (CDP) 2 de Guarulhos.

Tudo o que sabemos sobre:
atropelamentolei secatrânsito

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.