Sem caminhão, Marginal melhora de manhã e piora à tarde

Um mês depois do início da restrição a veículos pesados na via, média passou de 19,7 km para 15 km entre 7h e 9h

ARTUR RODRIGUES, O Estado de S.Paulo

06 Abril 2012 | 03h00

Um mês após começar a valer a restrição a caminhões na Marginal do Tietê e em 27 outras vias da cidade, o índice de congestionamento caiu 23,9% no pico da manhã (das 7 às 9 horas) na Marginal, passando da média de 19,7 km para 15 km de lentidão na via. Mas piorou em outros períodos do dia: das 9h às 17h, houve alta de 3,9% e, das 17h às 20h, mesmo com a restrição, o aumento foi de 6,3%. Os dados, fornecidos ontem pela Companhia de Engenharia de Tráfego (CET), comparam os períodos de 5 de março a 3 de abril de 2011 e de 2012.

Em toda a cidade, a lentidão caiu de 109 km para 95 km - variação de 12,8% - das 7h às 9h. Nos horários de pico, houve queda de 5,1% - de 98 km para 93 km. Das 17 às 20 horas, o aumento foi de 1,9% - de 103 km para 105 km.

De cinco vias monitoradas pela CET afetadas pela restrição, todas tiveram redução na lentidão no pico da manhã. Entre os picos, duas tiveram aumentos. Das 17 às 20 horas, três vias tiveram mais congestionamento.

O consultor de tráfego Flamínio Fichmann diz que a CET se precipitou em divulgar o balanço. "No ano passado, esse período de março foi próximo do carnaval, então a comparação acaba comprometida."

A Avenida Aricanduva, na zona leste da cidade, teve 11,1% de queda no congestionamento de manhã. Mas registrou aumento entre os horários de pico (19%) e no pico da noite (18,2%). A Salim Farah Maluf, também na zona leste, teve redução significativa durante todos os períodos do dia. E a Ligação Leste-Oeste teve queda de 35% de manhã - de 3,9 km para 2,5 km - e redução também no resto do dia.

Depois da restrição, o número de caminhões diminuiu 77% no horário de pico na Marginal. No mesmo período, houve aumento de 33% nos automóveis rodando pelo corredor. O aumento de veículos de passeio nas principais vias era um dos principais objetivos da restrição, segundo a CET. A companhia fez uma estimativa do número de pessoas trafegando pela Marginal e estabeleceu o índice de 1,4 ocupante por veículo. Nas cinco horas de pico, segundo essa estimativa, 54 mil pessoas a mais passaram a usar a via para seus deslocamentos diários. A conta não inclui passageiros de caminhões.

Desde que a restrição começou, em 5 de março, a CET aplicou 81.588 multas a caminhoneiros. A punição para quem é flagrado é de quatro pontos na carteira e multa de R$ 85,13.

Acidentes. A CET informou que os acidentes com vítimas caíram nesse período na Marginal. Foram 29 em 2012, ante 38 em 2011 - redução de 23,7%. Em 2011, entre março e abril, aconteceram quatro atropelamentos. Neste ano, no mesmo período, nenhuma pessoa foi atropelada. Os casos de caminhões quebrados na Marginal também diminuíram, de 262 para 202, uma queda de 22,9%.

O aumento do uso da Avenida Jacu-Pêssego por caminhões foi de 31%. O aumento da circulação de veículos pesados no corredor também estava previsto, de acordo com a CET, porque a via é uma das principais alternativas à Marginal do Tietê para quem segue rumo à região do ABC paulista. Outra mudança anunciada pela empresa tem a ver com transporte público. As oito linhas que circulam pela Marginal do Tietê tiveram redução de 5% no tempo de viagem durante o pico da manhã. O ganho de tempo foi de cinco minutos. / COLABOROU CAIO DO VALLE

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.