Seis policiais militares são presos por chacina com 7 vítimas no Campo Limpo

Anúncio foi feito nesta noite pela Secretaria da Segurança Pública; exame de balística comprova que uma das armas dos PMs foi usada nas execuções

William Cardoso, O Estado de S. Paulo

24 Janeiro 2013 | 21h23

SÃO PAULO - Passados 20 dias da primeira chacina do ano na cidade de São Paulo, quando sete pessoas foram executadas no Campo Limpo, zona sul, a Secretaria da Segurança Pública anunciou a prisão provisória de seis policiais militares do 37.º Batalhão de Polícia Militar sob a suspeita de participação no crime.

Entre os detidos estão o soldado Carlos Roberto Álvares, de 38 anos; o sargento Adriano Marcelo do Amaral, de 40; a cabo Patrícia Silva Santos, de 36; o soldado Eric Gilberto Francisco, de 24; o soldado Anderson Francisco Siqueira, de 36; e o soldado Fabio Ruiz Ferreira, de 29 anos.

O Departamento de Homicídio e Proteção à Pessoa (DHPP), em parceria com a Corregedoria da PM e a Polícia Científica, que realizou confronto balísticos, chegou os acusados após a realização de confronto balístico. O teste comprovou que ao menos uma das armas, a pistola. 40 de Eric, foi usada para efetuar três disparos contra duas das vítimas da chacina.

Para chegar aos outros suspeitos, o DHPP e a Corregedoria solicitaram o recolhimento de todas as armas do batalhão do Capão Redondo. Além da arma de Eric, uma espingarda calibre 12 apresentava marcas de sangue na coronha.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.