Seis militares são indiciados por morte de vítima de chacina em Campinas

Cinco deles estão presos; há suspeitas de que militares tenham participado dos outros assassinatos

Ricardo Brandt, O Estado de S. Paulo

18 Fevereiro 2014 | 15h47

CAMPINAS - Seis policiais militares de Campinas foram indiciados pelo assassinato de uma das 12 vítimas das execuções em série ocorridas nos dias 12 e 13 de janeiro, após o assassinato de um PM na mesma região da cidade. Cinco dos seis estão presos. A força-tarefa da Polícia Civil considera já ter provas contra os seis no caso da morte do adolescente Joab Gama das Neves , de 17 anos.

Joab foi o primeiro a ser assassinado. As outras 11 mortes ocorreram em um período de quatro horas, em quatro pontos distintos, todas com características de execução.

A Civil e o Ministério Público ainda não têm provas para apontar a participação deles nas demais mortes, mas há elementos que reforcem a suspeita. Outros PMs ainda são investigados. Eles teriam montado um plano de reação ao assassinato do policial, horas antes das chacinas.

Mais conteúdo sobre:
chacina Campinas

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.