Gabriel Toueg/Estadão.com.br
Gabriel Toueg/Estadão.com.br

Seguranças do Metrô de SP agridem repórter do 'Estado' em estação

Jornalista do grupo registrava confusão em celular quando levou 'gravata' de funcionário

Estadão.com.br

29 de abril de 2011 | 20h22

SÃO PAULO - O repórter Gabriel Toueg, de 32 anos, do Estadão.com.br, foi agredido na tarde desta sexta-feira, 29, por seguranças do Metrô ao fotografar uma discussão entre os agentes e seis meninas na Estação Sumaré, da Linha 2-Verde. Os funcionários foram afastados.

 

Segundo agentes da companhia, as seis garotas, todas menores de idade, seriam pedintes. Uma delas, de 11 anos, quebrou uma lâmpada da plataforma de embarque quando era retirada do local por seguranças. Ela alega ter sido agredida antes.

 

O repórter registrava a discussão com um celular quando um dos seguranças disse que não poderia fotografar, avançou em direção a ele e pegou o telefone. No mesmo momento, outro agente deu uma "gravata" em Toueg. "Leva ele também", disse o primeiro funcionário, referindo-se à Delegacia de Polícia do Metropolitano (Delpom), na Barra Funda, para onde as meninas foram encaminhadas. Toueg afirma que nesta hora identificou-se como repórter.

 

A caminho da viatura, a dificuldade de controlar as garotas fez com que os agentes desistissem de levar Toueg. Ao ser liberado, ele recebeu o celular e foi orientado a apagar as fotos. Mais tarde, o repórter registrou um boletim de ocorrência e seria submetido na noite de sexta a um exame de corpo de delito.

 

Em nota, a companhia informou que os funcionários envolvidos foram "afastados de suas funções até a conclusão da apuração dos fatos."

 

Menores. As meninas foram levadas à Delpom acompanhadas de pelo menos oito agentes do Metrô. Até o início da noite, a polícia tentava localizar seus familiares e confirmar as identidades. Se os parentes não forem encontrados, o Conselho Tutelar será acionado.

 

De acordo com a delegada Ana Lucia Marques, se as crianças forem menores de 12 anos, poderão ser encaminhadas ao Centro de Referência da Criança e do Adolescente. Com mais de 12 anos, podem ir para a Fundação Casa.

 

Texto atualizado às 22h35.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.