Segundo projeto de Kassab, via 'não serve para nada'

1ª proposta para legalizar área foi considerada inconstitucional por comissão da Câmara, mas prefeito enviou novo texto

O Estado de S.Paulo

20 de maio de 2012 | 03h03

Com o argumento de que o prolongamento da Rua Bruges "não serve para nada", o prefeito Gilberto Kassab (PSD) apresentou em março à Câmara Municipal um novo projeto que acaba com o trecho de 147 metros da via já engolido pelo templo da Igreja Mundial de Santo Amaro. Em junho de 2011, quando as obras do templo já haviam começado, mesmo sem alvará, Kassab havia apresentado proposta para acabar com o traçado original da rua.

Mas o primeiro projeto acabou considerado inconstitucional pela Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Câmara em fevereiro. Menos de 30 dias depois, em 7 de março, Kassab enviou projeto semelhante, para acabar com a extensão da Bruges até a Rua Benedito Fernandes. O prefeito pediu urgência para a base governista votar a proposta, que chegou novamente à CCJ do Legislativo no início deste mês.

"É uma proposta totalmente inconstitucional, o prefeito quer mudar o traçado da rua só para legitimar o que a Igreja Mundial já fez sem ter nenhuma licença", argumenta o vereador oposicionista Aurélio Miguel (PR).

O prefeito nega que a proposta beneficie diretamente a Igreja Mundial. A reportagem apurou, porém, que o deputado federal e ex-vereador José Olimpio (PP), pastor da igreja, tem feito pressão e conversado com a bancada do PSD, partido do prefeito, para a aprovação do projeto no Legislativo paulistano. / D.Z. e R.B.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.