Segundo empresa, casos ''esporádicos'' foram resolvidos

O Estado procurou a Cosan e a Copersucar. A Cosan não se manifestou. Já a Copersucar informou que não teve nenhum carregamento devolvido em decorrência da presença de areia misturada a açúcar. "As ocorrências esporádicas foram sanadas com os clientes." A empresa informou ainda que "intensificou os rígidos sistemas de controle" que já adotava no Terminal Açucareiro Copersucar, em Santos, para análise da qualidade do açúcar recebido antes do embarque.

, O Estado de S.Paulo

26 de junho de 2010 | 00h00

"São inspecionadas 100% das cargas recebidas pelo terminal para verificação da qualidade, inclusive para detecção de eventuais contaminações." Em 2009, a Copersucar diz ter detectado areia misturada ao açúcar em dois caminhões. Os carregamentos foram barrados.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.