Secretário diz que táxi atrapalha corredor de ônibus

Jilmar Tatto entrega hoje ao Ministério Público estudo sobre o impacto dos veículos nas vias exclusivas

CAIO DO VALLE, O Estado de S.Paulo

11 Dezembro 2013 | 02h02

O secretário municipal dos Transportes, Jilmar Tatto, afirmou ontem que os táxis atrapalham o deslocamento dos ônibus nos corredores exclusivos. Ele fez a declaração após mencionar estudo que será entregue hoje ao Ministério Público Estadual. A Promotoria, que já se mostrou desfavorável à medida, poderá recomendar o fim da permissão aos taxistas nos corredores.

Segundo Tatto, o mapeamento traçou a quantidade de ônibus, linhas e passageiros nos corredores, além do número médio de táxis que os utilizam. O levantamento também mediu o impacto que os táxis provocam na velocidade dos coletivos nos dez corredores da capital paulista.

"Não existe ainda essa decisão política em relação à retirada dos táxis dos corredores. Se você perguntar se o táxi atrapalha o corredor, atrapalha, assim como tudo o que interfere."

Mais cedo, em entrevista à Rádio Estadão, o promotor responsável por pedir o levantamento à Prefeitura, Mauricio Antonio Ribeiro Lopes, de Habitação e Urbanismo, afirmou que a prioridade deve ser do transporte coletivo. "O táxi para mim é um meio de transporte individual de passageiros. Mas pode-se dizer que, às vezes, um táxi leva duas ou três pessoas. Bom, mas então uma mãe que leva três filhos à escola também vai poder usar o corredor?" Para ele, "táxi não é a prioridade".

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.