Secretário diz que falha vai aprimorar contratos

Problemas levantados em contrato com Seconci vão servir para ampliar fiscalização, segundo adjunto da Saúde

, O Estado de S.Paulo

04 Dezembro 2010 | 00h00

O secretário adjunto de Saúde, José Maria da Costa Orlando, afirmou ontem que as falhas apontadas pelo Tribunal de Contas do Município (TCM) no contrato entre a pasta e a organização social Serviço Social da Construção Civil do Estado de São Paulo (Seconci) servem para "aprimorar" o modelo de gestão terceirizada das unidades de saúde.

Os auditores constaram que, dos R$ 27 milhões repassados pela Prefeitura, R$ 18 milhões (67%) estavam parados em aplicações financeiras. O secretário adjunto disse que, em fevereiro, a pasta deve lançar um sistema informatizado que "vai permitir ampliar a fiscalização" e o cenário retratado pelo TCM "já não é mais o mesmo".

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.