Anonimo | 07.09.2015
Anonimo | 07.09.2015

Secretário descarta expulsar policiais por caso de anão no Denarc

Alexandre de Moraes também afirmou que delegada da 5ª Seccional foi reprimida verbalmente por episódio de pagode em delegacia

Felipe Resk, O Estado de S. Paulo

09 de setembro de 2015 | 15h19

SÃO PAULO - O secretário Estadual de Segurança Pública, Alexandre de Moraes, descartou na manhã desta quarta-feira, 8, expulsar policiais civis envolvidos no caso do anão gogo-boy que fez uma apresentação de strip-tease dentro do Departamento de Narcóticos (Denarc), em São Paulo, na semana passada. "Já adianto, como secretário e responsável pela aplicação e encaminhamento de sanções, que não acho proporcional os fatos levarem à expulsão", afirmou.

A polêmica teve início após vazar na internet imagens de um "mini gogo-boy" dançando de cueca, meias e sapato em cima de uma mesa na sala da 2.ª Delegacia de Investigações Sobre Entorpecentes (Dise). A apresentação fazia parte de uma festa surpresa para uma escrivã de polícia que estava fazendo aniversário.

No vídeo, o anão, conhecido como Júnior Gelinho, de 28 anos, senta no colo da escrivã e também abraça um delegado. Segundo Moraes, os dois já prestaram depoimento na Corregedoria da Polícia Civil sobre o episódio, que o secretário classificou como de "extremo mau gosto". "Policiais e servidores públicos não devem fazer comemorações particulares dentro da repartição publica. Obviamente existe uma irregularidade", disse. "Mas não podemos perder de vista a proporcionalidade (da punição)."

Pagode. Em outro vídeo, divulgado pelo Estado, policiais da 5ª Delegacia Seccional de São Paulo (Leste) aparecem em uma festa dentro da sala da delegada titular, Elaine Maria Biasoli, regada a samba e cerveja. O evento aconteceu em março. A Corregedoria chegou a apurar o caso, mas a investigação foi arquivada em junho.

Para o secretário, o arquivamento do caso não significou impunidade. "Houve admoestação verbal à delegada de Polícia, determinando que isso não mais se repetisse", disse. "Mas em virtude de não haver nenhuma outra prova de horário de serviço e de abertura ao público, nenhuma outra sanção mais grave foi determinada." Moraes também determinou que o delegado geral Youssef Abou Chahin emita um aviso para os policiais civis reiterando que se evite novas comemorações em delegacias.

Mais conteúdo sobre:
Alexandre de MoraesDenarc

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.