Secretário compara chuva de SP à de Friburgo

Em entrevista na manhã de ontem, o secretário de Coordenação das Subprefeituras, Ronaldo Camargo, chegou a comparar a chuva de duas horas na cidade - concentrada especialmente nas zonas norte e leste - com a tragédia na região serrana do Rio, especialmente o caso de Nova Friburgo. "Para vocês terem ideia, na Vila Maria e na Vila Guilherme choveu 187,5 milímetros, basicamente um pouco mais do que em Nova Friburgo (lá a precipitação foi de 183 mm)".

Nataly Costa, O Estado de S.Paulo

25 Janeiro 2011 | 00h00

Além de ter sido em uma área menor, as chuvas que aconteceram em Estados tão distintos quanto São Paulo e Rio de Janeiro, segundo o meteorologista da Climatempo Marcelo Pinheiro, não podem ser colocadas lado a lado. "Não é certo comparar porque são duas regiões com geografias completamente distintas. São Paulo está em cima de um planalto, Nova Friburgo em uma serra", diz. "O relevo daquela região ajuda a formar chuvas contínuas e volumosas. Aqui, são chuvas de verão, mais rápidas e localizadas, causadas pelo calor e tempo abafado."

Previsão. Camargo afirmou ainda que "a cidade está funcionando" e lembrou por duas vezes as chuvas do verão passado. Avisou que ainda há "muita chuva a cair até dia 31" e alertou os paulistanos para os problemas que devem enfrentar. "Ainda teremos problemas com semáforos desligados e com uma ou outra árvore. Peço para que evitem fundamentalmente as vias de fundo de vale, que sem dúvida são as que têm mais tendência a alagamento", afirmou.

Em janeiro de 2010, choveu 461,3mm - quase o dobro dos 239 mm que seria o normal para o mês. Neste ano, até ontem, o índice estava em 390,3 mm - um aumento de 63% em relação à média histórica de janeiro. Embora tenha chovido mais na Vila Maria e na Vila Guilherme, a média pluviométrica total da cidade no domingo ficou em 49 mm.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.