Secretário Alexandre de Moraes deixa cargo e deve montar escritório de advocacia

Ex-promotor e ex-presidente da Febem, tido até então como provável candidato do DEM para substituir Kassab nas próximas eleições, entrou em atrito publicamente com cúpula governista

Fabiana Marchezi, da Central de Notícias

08 de junho de 2010 | 14h13

SÃO PAULO - Após três anos, o secretário das pastas de Transportes e de Serviços de São Paulo, Alexandre de Moraes, de 41 anos, deixou o cargo na manhã desta terça-feira, 8. Segundo a Prefeitura, ele deve montar um escritório de advocacia para atuar na área.

 

Veja também:

blog Moraes: 'Dilma de Kassab'

 

Em seu lugar nos Transportes assumirá o ex-secretário de Infraestrutura Urbana e Obras Marcelo Cardinale Branco. Já para a vaga de Serviços, o prefeito Gilberto Kassab (DEM) ainda não escolheu um substituto.

 

O ex-promotor e ex-presidente da Febem, tido até então como provável candidato do DEM para substituir Kassab nas próximas eleições municipais, entrou em atrito publicamente com a cúpula governista após diversas polêmicas.

 

Dentre as razões para a queda de Moraes está a sua resistência ao projeto de criação da Autoridade Metropolitana de Transportes. A proposta é uma das principais bandeiras do governo estadual para o transporte públicos. A resistência da Prefeitura, uma das únicas da região a se posicionar contra, colocou Kassab em rota de colisão com seu padrinho político José Serra (PSDB).

 

Além disso, a saída estaria relacionada com a próxima licitação para os serviços de ônibus e vans na capital. O desgaste, no entanto, vai além e está relacionado com o atraso na entrega da motofaixa da Rua Vergueiro.

 

(Com Renato Machado, de O Estado de S. Paulo)

Tudo o que sabemos sobre:
Alexandre de MoraesKassab

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.