Rodrigo Paneghine/SSP/Divulgação
Rodrigo Paneghine/SSP/Divulgação

Secretário afirma que segurança na Baixada é prioridade do governo

Alexandre de Moraes se reuniu com cúpula da polícia da região; ocorrências policiais no ano-novo assustaram moradores e turistas 

Zuleide de Barros, Especial para O Estado

09 Janeiro 2015 | 14h24

SANTOS - O secretário estadual de Segurança Pública, Alexandre de Moraes, afirmou nesta sexta-feira, 9, em Santos que a segurança da Baixada Santista é prioridade para o governador Geraldo Alckmin (PSDB). Ele esteve reunido com a cúpula das Polícias Civil e Militar da região, a fim de discutir o policiamento que vem sendo desencadeado nas 11 cidades que integram a Operação Verão e as últimas ocorrências policiais que têm assustado os turistas, sobretudo os arrastões registrados na virada do ano, em Guarujá e Praia Grande, e os assaltos nas estradas de acesso à capital.

De acordo com o secretário, desde a última terça-feira, 6, por determinação do comando-geral da Polícia Militar, foi efetivado o reforço  do policiamento na região, com o encaminhamento de mais 185 agentes, além dos 1900 policiais que se encontravam no litoral antes das festas de fim de ano.

"É a maior  Operação Verão de todos os tempos", afirmou, depois de participar de uma reunião de mais de uma hora, a portas fechadas, no Batalhão de Polícia do Interior, onde também estiveram presentes o  comandante-geral da PM, Ricardo Gambaroni, e o delegado-geral da Polícia Civil, Youssef Abou Chahin.

Alexandre de Moraes não confirmou se o atual efetivo da Operação Verão será mantido na região depois do carnaval ou se haverá algum reforço no policiamento depois da temporada.

"Vamos sentar e discutir toda a situação, em cima dos índices a serem apresentados", antecipou Moraes, sem confirmar se será desencadeada a Operação Safra, que dá retaguarda aos caminhões com soja, milho e açúcar destinados às exportações pelo Porto de Santos.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.