Secretário admite mudanças em outras ciclovias de São Paulo

Nesta 5ª, trecho na Praça Vilaboim, em Higienópolis, foi apagado; Tatto negou adoção de medida por pressão de comerciantes

Felipe Resk, O Estado de S. Paulo

14 Novembro 2014 | 16h36

SÃO PAULO - O secretário municipal de Transportes, Jilmar Tatto, admitiu que outras ciclovias da cidade também podem passar por revisão de traçado, após a Companhia de Engenharia de Tráfego (CET) começar a apagar um trecho na Praça Vilaboim, em Higienópolis, na região central da cidade, na tarde desta quinta-feira, 13.

"Até os 400 quilômetros (meta da Prefeitura) vão ter outras (revisões), com certeza", afirmou nesta sexta-feira, 14, o secretário. De acordo com ele, no entanto, não há nenhum projeto de readequação de equipamentos previsto para os próximos dias, embora afirme que esse processo "faz parte da rotina". "Já teve outros locais que mudamos o traçado", disse.

Tatto negou, ainda, que a medida adotada em Higienópolis tenha sido resultado da pressão de comerciantes da região, que fizeram abaixo-assinado pedindo a remoção do equipamento. "A administração dialoga com todos", afirmou. "Nós fazemos reuniões direto com as subprefeituras, CET e entidades para apresentar o plano."

A moradora da zona sul Renata D'Angelo avalia de maneira positiva a possibilidade de alguns trajetos da cidade serem alterados. "Espero que se dê atenção a todos os lugares em que as ciclovias foram mal planejadas", disse.

Contrária a uma ciclovia implantada na Rua Fernandes Moreira, na Chácara Santo Antônio, ela encaminhou um abaixo-assinado para mudar o traçado do equipamento."Já batemos em todas as portas - Conselho Participativo, Subprefeitura, CET - e em nenhum momento foi dada essa possibilidade", afirmou Renata. "Até aqui, foram três meses de frustração." 

Vilaboim. O trecho de cerca de 30 metros, que havia sido implantado em setembro, está, na verdade, passando por uma readequação do traçado, diz Jilmar Tatto. "Ao invés de a ciclovia passar na frente da banca de jornal, está passando atrás", afirmou. "Nesse caso, a ciclovia nem saiu da praça." Vários ciclistas, contudo, criticaram a alteração, sob argumento que a medida prioriza os carros.

O prazo de conclusão dos trabalhos é até semana que vem, segundo a CET. Já o secretário faz uma previsão mais otimista. "Amanhã, a ciclovia vai estar na Praça Vilaboim. Se não chover."

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.