Secretaria ressalta que há 1 morte para 256 prisões

O Estado de S.Paulo

28 de dezembro de 2012 | 02h01

A Secretaria da Segurança Pública (SSP) admite que "o número absoluto (de mortes) é alto", mas diz que a "quantidade de mortes por prisões e apreensões ainda é relativamente baixa, se comparada ao restante da década". Segundo a SSP, houve, de janeiro a novembro, um morto para 256 prisões e apreensões - a taxa era de 132,6 em 2000. A pasta diz ainda que as taxas de mortes em confronto por 100 mil habitantes também estão em declínio. A SSP afirma que se preocupa com o aumento nos números absolutos e diz que um trabalho conjunto entre o Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa e a Corregedoria apura abusos. O ex-secretário Antonio Ferreira Pinto não foi encontrado para comentar as críticas. /W.C.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.