Secretaria anuncia aumento na passagem do Metrô e CPTM

Tarifa simples vai de R$ 2,40 para R$ 2,55 (6,3%) e integração com ônibus subiu de R$ 3,65 para R$ 3,75 (2,7%)

da Redação, estadao.com.br

30 Janeiro 2009 | 17h23

A Secretaria dos Transportes Metropolitanos do Estado anunciou nesta sexta-feira, 30, o aumento das tarifas de Metrô e da CPTM. Segundo comunicado, a partir de 9 de fevereiro, a passagem de integração entre o metrô e trem mais a passagem de ônibus custará R$ 3,75 - aumento de 2,7%. Já o bilhete comum para os dois meios de transporte tiveram aumento de 6,3%, de R$ 2,40 para R$ 2,55. Segundo a secretaria, o aumento ficou abaixo da inflação de 6,6% e terá um impacto pequeno, considerando que o rendimento médio da população na região metropolitana de São Paulo foi de 8%, de acordo com o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).   Veja também: Tabela com o valor do aumento em cada bilhete Aumenta tarifa de ônibus intermunicipais de três regiões de SP   As tarifas de bilhetes especiais Fidelidade e BLA também serão reajustados a partir da segunda semana de fevereiro. O Cartão Fidelidade 20 passa de R$ 42 (20 viagens) para R$ 47 (aumento de cerca de 12%). Já o Bilhete Lazer (BLA) de dez viagens, que só funciona das 18 horas de sábado até o fim do expediente de domingo, passa de R$ 20 para R$ 21,50 - aumento de aproximadamente 8%.   Como um meio de diminuir o impacto do aumento das tarifas, a secretaria também anunciou algumas mudanças nos bilhetes especiais da companhia. O Cartão Fidelidade irá ganhar mais dois valores de recarga: de oito viagens e de 50. O primeiro custa R$ 19,60, fazendo com que cada viagem custe R$ 2,45 (3,9% a menos que o bilhete unitário). O segundo sai por R$ 112,50, ou R$ 2,25 a passagem (11,8% mais barato que a passagem simples).   Novidades   Os bilhetes de integração metrô-ônibus simples e ida e volta não serão mais vendidos a partir de 9 de fevereiro. Segundo a secretaria, os bilhetes serão extintos porque as tarifas do Bilhete Único são mais baratas e não há o risco de fraude, como nos antigos bilhetes de papel. Os bilhetes de papel já adquiridos serão válidos até o dia 8 de maio deste ano.   Outra novidade é a Tarifa do Madrugador, que começa a funcionar em 9 de março. Quem usar o Metrô, entre 4h40 e 6 horas, e a CPTM, entre 4 horas e 5h20, pagarão um preço diferenciado de quem utiliza no restante do dia. Quem utilizar apenas os trens (tarifa simples) pagará R$ 0,20 a menos. Já na utilização de integração, o valor do desconto é de R$ 0,15. Porém, esse benefício só é válido para o Bilhete Único comum, excluindo os usuários de Vale Transporte e Cartões Fidelidade, o que exclui a maior parte dos madrugadores: o trabalhador.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.